EDP e EDP Renováveis impulsionam bolsa portuguesa

A EDP Renováveis é a cotada com a maior subida nesta abertura, estando a crescer mais de 2%, enquanto a EDP avança mais de 1%. As praças europeias seguem um caminho positivo.

A bolsa portuguesa abriu as negociações desta quinta-feira em terreno positivo. O principal índice bolsista português (PSI 20) está a valorizar 0,68%, para 5,560.04 pontos.

A EDP Renováveis é a cotada com a maior subida na abertura da sessão, crescendo 2,29% para 22,34 euros. A EDP sobe 1,04% para 4,87 euros, a Nos cresce 1,96% para 3,44 euros, a Ramada avança 0,92% para 6,58 euros, a REN cresce 0,81% para 2,49 euros e a Pharol ganha 0,81% para 0,09 euros. O BCP avança 0,74% para 0,15 euros, a Altri cresce 0,70% para 0,70% para 5,07 euros e a Sonae soma 0,10% para 0,99 euros.

Em sentido negativo está a Ibersol a perder 1,12% para 5,30 euros, a Galp cai 0,18% para 8,79 euros e a Greenvolt desliza 0,16% para 6,09 euros.

As principais congéneres europeias estão a negociar em terreno positivo. O alemão DAX valoriza 0,42%, o francês ganha 0,50%, o britânico FTSE 100 sobe 0,20%, o espanhol cresce 0,21% e o italiano avança 0,60%. O Euro Stoxx abre a sessão a somar 0,51% para 4.298,05 pontos.

No mercado petrolífero, o barril de Brent perde 0,07%, para 82,19 dólares, enquanto o WTI desvaloriza 0,20% para 78,23 dólares.

No mercado cambial, o euro ganha 0,19% face ao dólar, para 1,1218 dólares, e a libra esterlina avança 0,14% para 1,3344 dólares.

Recomendadas

Eila Kreivi: “Já não é possível alterar a direção do comboio [do investimento sustentável]”

Em entrevista ao Jornal Económico, a diretora do Departamento de Mercados de Capitais do Banco Europeu de Investimentos, reconhecida como a “mãe das obrigações verdes”, considera que a relação entre o sistema financeiro e a sustentabilidade deverá estreitar-se e que isso terá reflexos no mercado.

Sector tecnológico castiga Wall Street numa semana vermelha

A semana terminou com perdas, depois da descoberta da variante Ómicron ter causado preocupações nos investidores. Sectores como o tecnológico e o das viagens foram os mais castigados num dia em que títulos pró-cíclicos, como a banca, também não escaparam às perdas.

PSI-20 ao nível pré-pandémico em novembro próximo dos 5.500 pontos

No final de novembro de 2021, o PSI 20 atingiu o valor de 5.433,1 representando uma diminuição mensal de -5,2% invertendo a trajetória positiva iniciada no mês de agosto.
Comentários