EDP Renováveis entra no mercado chileno com portefólio de 628MW em energia solar e eólica (com áudio)

Acordos envolvem a Atacama Energy e com a Lader Energy, num negócio total de 31 milhões de euros. Empresa chega desta forma ao 16º mercado, enquanto o grupo EDP entra assim no 21º mercado.

A EDP Renováveis acaba de fazer a sua entrada no mercado do Chile com aquisição de um portefólio de 628 MW em parques de energia solar e eólica, informa a empresa portuguesa em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) esta sexta-feira, 28 de maio.

Os dois acordos envolvem a Atacama Energy e com a Lader Energy, num negócio total de 38 milhões de dólares (31 milhões de euros) condicionados ao sucesso de fases pré-determinadas para cada projeto. Desta forma, a EDP Renováveis chega ao 16º mercado, enquanto o grupo EDP entra assim no 21º mercado.

Este portefólio engloba um parque eólico de 77 MW com um PPA (Power Purchase Agreement) de 20 anos, que deverá entrar em funcionamento em 2023, e 551 MW em projetos em desenvolvimento, dois parques eólicos que, no total, têm 297 MW e um parque solar de 254 MW. Estima-se que os dois projetos possam entrar em operação até 2025.

Miguel Stilwell d’Andrade, presidente executivo da EDP e da EDP Renováveis, afirma que “a entrada neste mercado confirma a importância da região para a ambiciosa estratégia de crescimento internacional da EDP Renováveis. Este movimento reforça a nossa liderança global e estamos confiantes no potencial de crescimento do Chile para o sector das energias renováveis”.

Recomendadas

António Alberto Teixeira nomeado ‘chairman’ da Ibersol

Foram ainda nomeados para o conselho de administração o vice-presidente António Pinto de Sousa, que era até agora presidente, e os vogais Maria do Carmo Guedes Antunes de Oliveira, Juan Carlos Vazquez-Dodero de Bonifaz e Maria Deolinda Fidalgo do Couto.

Apoio ao sector do mel reforçado com cerca de 2 milhões de euros

O ministério liderado por Maria do Céu Antunes recorda que o apoio a este setor será integrado no Plano Estratégico da Política Agrícola Comum, a partir de 1 janeiro 2023.

Empresária Tchizé dos Santos “triste” com fim do Vida TV e ambiciona novo canal no mercado português

O canal comunicou a decisão aos seus colaboradores de que vai fechar portas em 31 de julho, deixando no desemprego mais de 300 profissionais, na sequência da rescisão do contrato com a DSTv.
Comentários