EDP Renováveis põe bolsa de Lisboa em queda em dia de correção nos mercados europeus

As bolsas europeias encerraram na sua globalidade em baixa, no dia em que foi revelado que a atividade na zona euro terá acelerado o ritmo de expansão em junho e de forma mais expressiva que o previsto, puxada pelo sector dos serviços.

Stringer/Reuters

A bolsa de Lisboa voltou a fechar em queda. O PSI-20 fechou esta quarta-feira a cair 0,71% para 5.039,5 pontos, destacando-se a perda de -2,35% das ações da EDP Renováveis e a queda de 1,88% da EDP, para 18,32 euros e 4,48 euros, respetivamente.

O BCP voltou a recuar (-0,97%) fechando a sessão nos 0,1422 euros.

A Novabase e a Mota-Engil também se destacaram pela negativa, com quedas de 1,68% e 0,85%, respetivamente. Tendo a Novabase fechado nos 4,10 euros e a Mota nos 1,398 euros.

A Semapa também teve uma evolução negativa (-0,84%), mas continua acima dos 11,66 euros. Fechou a cotar 11,78 euros.

Em terreno positivo fecharam seis títulos, sendo de destacar os CTT que valorizaram 2,18% para 4,68 euros. Já a Ibersol fechou a subir 1,67% para 6,08 euros.

Na Europa o dia foi de correções. As bolsas europeias encerraram na sua globalidade em baixa, no dia em que foi revelado que a atividade na zona euro terá acelerado o ritmo de expansão em junho e de forma mais expressiva que o previsto, puxada pelo sector dos serviços, destacou o analista do BCP.

Os sectores de Recursos Naturais e Energético foram os únicos a escapar ao movimento de correção.

O EuroStoxx 50 caiu 0,95% para 4.083,98 pontos e o Stoxx 600 recuou 0,58%.

O índice de Londres, FTSE 100 fechou flat, com uma queda de 0,02% para 7.088,8 pontos; o CAC fechou a cair 0,80% para 6.558,93 pontos; o DAX recuou 0,93% 15.491,1 pontos; o FTSE MIB perdeu 0,69% para 25.142 pontos e o IBEX fechou a recuar 0,82% para 8.978,9 pontos.

Em termos de notícias destaque para o facto de Espanha ir baixar imposto na eletricidade, segundo a RTVE.

“Nos EUA o sector terciário terá abrandado o ritmo de crescimento, sendo compensado por um ganho de momentum na indústria”, salienta o analista do Millennium BCP Ramiro Loureiro.

O índice PMI industrial registou um aumento de 62,60 em junho face aos 62,1 registados em maio e superando as previsões dos analistas de 61,5. Por outro lado, o sector dos serviços caiu para 64,80 em junho depois de ter atingido os 70,4 no mês anterior e bem abaixo das previsões dos analistas que apontavam para uma ligeira contração de 70,0, destacou Henrique Tomé, analista da XTB.

O euro sobe 0,03% para 1,1943 dólares.

A dívida pública alemã cai 1,41 pontos base para -0,18%; a portuguesa recua 1,19 pontos base para 0,43%; a espanhola também fechou a cair 1,07 pontos base para 0,45%.

Noutros mercados, o Brent em Londres sobe 1,12% para 75,65 dólares o barril.

Recomendadas

Fundos ESG ainda têm muito espaço para crescer em Portugal

No ano passado, a maioria das subscrições de fundos ESG foram feitas por pessoas singulares (99,2%), segundo os dados da CMVM, que mostram que as subscrições líquidas se revelaram nos quatro últimos anos, apesar de 2020 ter apresentado uma diminuição de 75% face a 2019.

Wall Street fecha em alta primeira semana de resultados trimestrais

O sector financeiro arrancou mais uma época de resultados trimestrais com lucros que superaram as expectativas do mercado, impulsionando os três principais títulos norte-americanos a ganhos na semana.

PremiumMinutas da Fed sinalizam ‘tapering’ em novembro

Reserva Federal norte-americana sinalizou início do ‘tapering’ no próximo mês. Inflação pressiona ações. Começou a apresentação de resultados nos Estados Unidos.
Comentários