EDP Renováveis, Sonae Capital e Semapa caem mais de 2% e puxam bolsa para queda

No dia em que a Standard& Poor’s anuncia a decisão sobre o rating de Portugal, a tendência inverteu depois do PSI 20 ter começado a manhã a negociar em alta. A bolsa de Lisboa contraria ganhos europeus.

Paulo Whitaker/Reuters
Ler mais

A Bolsa de Lisboa fechou, esta sexta-feira, com uma perda de 0,56% para 5.285,32 pontos. Entre as 12 cotadas em terreno negativo, destaca-se a EDP Renováveis que continua a deslizar (-2,06% para 8,335 euros) –  recorde-se que é uma das empresas alvo de OPA da China Three Gorges – a  Semapa que caiu -2,34% para 17,520 euros; e Sonae Capital (-2,32% para 0,801 euros).

O BCP também pressionou a praça lisboeta, com uma perda de 1,29% para 0,2367 euros por ação.

No dia em que a Standard & Poor’s anuncia a decisão sobre o rating de Portugal, a tendência inverteu depois do PSI 20 ter começado a manhã a negociar em alta, acompanhando o sentimento positivo da Europa, um dia após a reunião do Banco Central Europeu e impulsionado pelas valorizações do retalho e do BCP.

A dívida soberana portuguesa a 10 anos caiu 0,8 pontos base no mercado secundário para uma yield de 1,856% em contra-mão com a dívida espanhola que subiu 1,7 pontos base para 1,486%, Itália que vê os juros subirem  3,1 pontos para 2,982% e a dívida alemã que agravou também, 2,7 pontos base para 0,45%.

No último dia da semana, o setor petrolífero também pressionou, com a Galp Energia a perder 0,72% para 16,53 euros.

A Bolsa de Lisboa contrariou os ganhos europeus. “A generalidade das praças europeias fechou no verde uma semana em que o saldo global acaba por ser francamente positivo”, escreve Ramiro Loureiro, Analista de Mercados Millennium investment banking.

“A revelação de que a confiança dos consumidores norte-americanos teve uma melhoria surpreendente em setembro veio reforçar o otimismo na última hora e meia de negociação”, adianta o analista.

“Nas notas vespertinas destaque para os rumores de que a Volkswagen estará a preparar o IPO da sua unidade de camiões. O setor Auto liderou mesmo os ganhos na Europa. A diminuição da volatilidade nos mercados emergentes teve reflexo positivo no setor de Recursos Naturais. A principal exceção aos ganhos foi o PSI20, com correção na maioria das cotadas”, conclui a nota do BCP.

Na Europa, o FTSE subiu 0,31% para 7.304 pontos; o CAC 40 ascendeu 0,46% para 5.352,6 pontos; o alemão DAX ganhou 0,57% para 12.124,3 pontos; o IBEX subiu 0,39% para 9.365,3 pontos e o italiano FTSE MIB valorizou 0,19% para 20.885,4 pontos.

O petróleo sobe 0,41% em Londres para 78,5 dólares e o crude americano WTI dispara 1,04% para 69,3 pontos.

O euro caiu face ao dólar 0,48% para 1,1634 dólares.

 

(Em atualização)

Recomendadas

Wall Street fecha mista em dia de Farfetch

O Dow Jones fechou em alta em contra-mão com os Nasdaq e S&P. A estreia de bolsa da Farfetch é um dos destaques em Wall Street, tendo a procura levado a uma subida do preço da ação face ao preço da colocação no IPO (oferta pública inicial).

Farfetch vale 7,02 mil milhões de dólares em bolsa

No lançamento do IPO, as ações da empresa valiam 20 dólares (17,03 euros), mas no final da sessão fecharam com uma cotação de 28,5 dólares. Ao fecho da sessão, a Farfetch tinha uma capitalização bolsista de 7,02 mil milhões de dólares (6,13 mil milhões de euros).

Bolsa de Lisboa fecha em terreno negativo em contra-ciclo com a Europa

A família Sonae, a Mota-Engil e a Pharol estragaram a sessão da bolsa lisboeta ao registarem quedas acima de 3%. A maioria das praças europeias encerrou em alta, com os índices ibéricos a registarem performances inferiores aos pares. O Euro Stoxx 50 registou a décima sessão consecutiva de valorização.
Comentários