EDP Serviço Universal vai ter novo nome e imagem

A SU Eletricidade é a empresa do grupo EDP para o mercado regulado de eletricidade que conta com um milhão de clientes domésticos.

Cristina Bernardo

A EDP Serviço Universal vai ter um novo nome e imagem. A companhia vai passar a chamar-se SU Eletricidade. A mudança vai ter lugar até 15 de janeiro de 2020.

A mudança de imagem foi imposta pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) com o objetivo de evitar que os consumidores confundam as diversas marcas da EDP.

“A medida visa evitar confusão com as demais marcas do grupo EDP e implica a total distinção dos elementos gráficos, cromáticos, simbológicos e comunicacionais daquele comercializador de último recurso”, pode-se ler no comunicado divulgado pelo regulador esta segunda-feira, 19 de agosto.

“Para garantir a total distinção, a nova imagem não contém, nem poderá conter, elementos gráficos, cromáticos, simbológicos ou comunicacionais comuns com nenhuma das empresas integradas no mesmo grupo empresarial, designadamente, com o comercializador em regime de mercado (EDP Comercial) ou o operador de redes (EDP Distribuição)”, destaca o regulador liderado por Cristina Portugal.

A SU Eletricidade é a empresa do grupo EDP para o mercado regulado de eletricidade que conta com um milhão de clientes domésticos do total de 6 milhões de consumidores em Portugal, o equivalente a 6% do consumo total.

Segundo a ERSE, a alteração da imagem não vai ter custos para os consumidores. “A implementação da decisão da ERSE assegura a neutralidade de custos para os consumidores de energia elétrica”.

O regulador determina que “como o comercializador de último recurso não tem atividades em regime de concorrência, na concretização da diferenciação de imagem agora decidida deve ser restringida qualquer atuação promocional que extravase o cumprimento do dever de informação aos clientes”.

Ler mais
Recomendadas

BCP emite 450 milhões de dívida subordinada e paga 3,871%

A emissão, no montante de 450 milhões de euros, terá um prazo de 10,5 anos, com opção de reembolso antecipado pelo Millennium BCP no final de 5,5 anos, e uma taxa de juro de 3,871%, ao ano, durante os primeiros 5,5 anos.

Facebook suspende “dezenas de milhares” de aplicações por falhas na privacidade

A sua suspensão “não é necessariamente uma indicação de que as aplicações eram uma ameaça às pessoas”, ressalva a rede social.

TAP regista prejuízos de 120 milhões no primeiro semestre

Quebra nas receitas com o Brasil e aumento de custos de pessoal foram alguns dos motivos que geraram este resultado negativo.
Comentários