EDP vende ativos eólicos à China Three Gorges

Os ativos localizados em Espanha contam com 181 megawatts de potência num total de 12 parques eólicos.

A EDP Renováveis anunciou hoje a venda de ativos eólicos em Espanha à China Three Gorges (CTG). Os ativos contam com 181 megawatts de potência num total de 12 parques eólicos.

A EDP  “assinou um Acordo de Compra e Venda com a CTG para a venda de uma participação acionista de 100% num portfólio eólico operacional com 181 MW localizado em Espanha, por um Enterprise Value estimado em 307 milhões de euros (sujeito a ajustes na conclusão)”, segundo o comunicado hoje divulgado pelo grupo EDP.

Estas centrais contam com um “esquema remuneratório regulado de Espanha a 20 anos. A idade média do portfólio é de 12 anos”.

A empresa liderada por Miguel Stilwell de Andrade destaca que a “transação está sujeita a condições regulatórias e outras condições precedentes habituais para uma transação desta natureza”.

A elétrica portuguesa diz que já “assegurou 2,6 mil milhões de euros de encaixes com rotação de ativos, que está inserida no contexto do programa de rotação de ativos de 8 mil milhões anunciado no Capital Markets Day da EDP, permitindo à EDP acelerar a criação de valor e reciclar capital para reinvestir em crescimento rentável”.

Recomendadas

PremiumDiretor-geral da AWS diz que Portugal “está num caminho fantástico”

A empresa de computação na nuvem do grupo Amazon prevê que o investimento de 2,5 mil milhões de euros em Espanha também seja benéfico para o mercado português.

Fundo da CGD pede insolvência pessoal do empresário Alfredo Casimiro

Fundo imobiliário Fundimo, da Caixa Geral de Depósitos, tem 973 mil euros a receber da Urbanos, a empresa de transportes detida por Alfredo Casimiro, que é também o principal acionista da Groundforce.

Lesados do BES em França enviam “mensagem” a futuro Governo

“Estamos aqui neste novo protesto para dizer aos políticos em Portugal que o nosso caso não está resolvido. Isto é uma mensagem no fim de 2021 para o futuro Governo, que vai ser eleito em janeiro, diz Carlos Costa dos Santos, coordenador dos Emigrantes Lesados Unidos (ELU), em declarações à Agência Lusa.
Comentários