Educação e Saúde reforçados no OE para 2018

O primeiro-ministro António Costa defendeu num jantar em Almancil ser necessário que a economia e as finanças estejam “ao serviço das pessoas”.

Queremos que a economia e as finanças estejam ao serviço das pessoas, ou seja, das portuguesas e dos portugueses”, sublinhou o líder do PS e também primeiro-ministro, António Costa, num jantar-comício em Almancil.
Costa disse, no entanto, ser necessário “não dar um passo maior que a perna” porque “não se pode comprometer”.
O investimento em áreas como a Educação e a Saúde será reforçado no Orçamento do Estado para 2018, assegurou António Costa, no jantar-comício, que juntou centenas de militantes e simpatizantes socialistas do Algarve.
Recomendadas

PS está na “posição ingrata” em que “todos lhe batem”, diz António Costa

Segundo o líder socialista, “a realidade” é que, “em cada um dos concelhos, a escolha é sempre uma, ou é o PS e as coligações PSD/CDS-PP ou é o PS e a CDU”.

“Maquiavel para Principiantes”. “Em vez do cartão amarelo ao Governo, podemos ter cartão vermelho ao líder da oposição”

“Mais importante do que bazucas, metralhadoras, helicópteros ou outro tipo de arsenal, há mais pessoas a acreditar numa vitória do PS do que num triunfo do PSD. Nestas eleições faz-se sentir muitas vezes o cartão amarelo ao Governo mas o que parece é que se está a preparar um cartão vermelho ao líder da oposição”, realçou Rui Calafate na edição desta semana do podcast do JE.

Bruno Horta Soares: “Moedas é um nome forte mas com esta campanha e se não fosse a IL, votaria em branco”

Consciente de que tem de ultrapassar o apelo ao voto útil, Bruno Horta Soares realçou ainda, na última edição do programa “Primeira Pessoa”, da plataforma multimédia JE TV, que já ninguém acredita que Carlos Moedas possa derrotar Fernando Medina.
Comentários