PremiumEfeito Draghi favorável ao regresso da esquerda nas municipais italianas

A dois dias da segunda volta das eleições, a União Europeia respira de alívio: a sua velada (mas não muito) aposta no ex-governador do Banco Central Europeu retirou o país da lista das preocupações graves.

Apesar do fraco histórico recente de governos de iniciativa presidencial em Itália – incapazes de levarem uma legislatura até ao fim e de promoverem qualquer reforma de fundo no país – a União Europeia apressou-se a demonstrar especial apreço pelo último, o do ex-governador do Banco Central Europeu, Mario Draghi, que tomou posse em fevereiro passado. A situação, na ótica de Bruxelas, era extrema: o país foi o primeiro e um dos que mais profundamente sentiu os efeitos da pandemia de Covid-19, contaria com a mais volumosa ‘bazuca’ dos 27 para promover a recuperação económica, mantinha acesa discordância com a Comissão Europeia e o Conselho Europeu no que dizia respeito à questão dos refugiados e era, como sempre, um formigueiro de intriga política ao nível mais básico – que descambara num formidável crescimento dos diversos grupos de extrema-direita.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumEugénio Rosa: “A substituição da administração do Banco Montepio é necessária”

“Sou totalmente contra uma administração que caia de paraquedas no Banco Montepio”, defende Eugénio Rosa, líder da lista C, candidata às eleição dos órgãos associativos do Montepio Geral.

PremiumPedro Corte-Real: “Há garantias do primeiro-ministro que o Montepio ia ser apoiado”

Pedro Corte-Real, que lidera a lista B para a presidência da Associação Mutualista Montepio Geral, defende que o Estado deve ajudar o Banco Montepio e diz que “esse apoio ainda não foi dado por falta de credibilidade das direções”.

PremiumProjeto inovador pretende utilizar palmito da bananeira como alimento

O projeto Palmito do Atlântico, desenvolvido por João Petito, no âmbito de uma disciplina na Universidade da Madeira, pretende utilizar o interior do pseudocaule da bananeira, designado de palmito, como alimento para comercializar.
Comentários