El Corte Inglés alia-se à EDP e entra no negócio dos painéis solares em Espanha

Empresa liderada por Marta Álvarez acompanha uma tendência já adotada por outras empresas como a MediaMarkt, Fnac, Ikea e Leroy Merlin.

A cadeia espanhola de centros comerciais El Corte Inglés aliou-se à portuguesa EDP para entrar no negócio das energias renováveis. De acordo com o “Cinco Días”, o gigante da distribuição vai passar a comercializar, em Espanha, soluções fotovoltaicas de autoconsumo através da instalação de painéis solares.

As soluções oferecidas deverão permitir aos clientes poupar até 70% do seu consumo de eletricidade e serão distribuídos através do departamento de decoração integral do El Corte Inglés, o Decor Studio, que está presenta em 47 centro comerciais espanhóis.

Desta forma, a empresa liderada por Marta Álvarez acompanha uma tendência já adotada por empresas de distribuição como a MediaMarkt, Fnac, Ikea e Leroy Merlin, que também optaram recentemente pela venda de painéis solares para casas e empresas.

Por sua vez, a EDP será responsável, uma vez formalizada a contratação do serviço, pela verificação da viabilidade técnica da instalação, bem como pela gestão das licenças necessárias à execução dos painéis e pelo processo de legalização da instalação. A energética também vai assessorar os clientes, caso estes queiram beneficiar dos benefícios fiscais existentes, em Espanha, para a instalação de painéis solares, mediante a localização.

O novo serviço também permitirá ao cliente monitorizar, em tempo real, através de um dispositivo móvel o seu consumo de energia, conhecendo ao detalhe dados sobre a energia gerada pelos painéis fotovoltaicos e o consumo efetuado.

Recomendadas

Sines vai arrancar com o projeto do Data Centre Campus

A cerimónia de apresentação do projeto será presidida pelo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

Plano de Recuperação e Resiliência deixou cair cinco projetos rodoviários, mas Governo garante financiamento nacional

Os cinco projetos que deixam agora de contar com financiamento do PRR são o IC35 – Sever do Vouga/IP5(A25); ligação ao IP3 dos concelhos a sul; IC31 – Castelo Branco/Monfortinho; EN341 – Alfarelos (EN342)/Taveiro (acesso ao terminal ferroviário de Alfarelos); e IC6 – Tábua/Folhadosa.

Projeto de lítio para a mina do Barroso entra em consulta pública

Caso não haja atrasos, a concessionária Savannah prevê receber a DIA em agosto de 2021. Dependente dos resultados do EIA, a construção deve iniciar-se em 2022, prevendo-se alcançar a produção comercial em 2023.
Comentários