Eleições Autárquicas. PS admite perder entre dez a 15 câmaras

Socialistas admitem cenário nas eleições do próximo domingo, onde contam ficar com um total de 155 câmaras, mostrando-se confiantes de que podem conquistar duas autarquias lideradas historicamente pelo Partido Social Democrata: Portalegre e Viseu.

Arménio Belo/Lusa

O Partido Socialista admite perder entre dez a 15 câmaras nas eleições autárquicas do próximo domingo, das 161 que detém atualmente. Segundo avança a edição desta quinta-feira, 23 de setembro, do jornal “Público”, entre ganhos e perdas, os socialistas admitem ficar com um total de 155 câmaras, o que seria “um grande resultado”, de acordo com a direção do partido.

Por outro lado, uma perda máxima de 15 câmaras seria encarada como a “expectativa mais baixa”. Das 161 câmaras, 159 são presididas sozinhas pelos socialistas, que participam nas coligações que apoiam a presidência das câmaras do Funchal (uma das que poderão cair para o Partido Social Democrata) e de Felgueiras.

Outro município que os socialistas admitem que podem perder é o da Figueira da Foz para o movimento de independentes liderada por Pedro Santana Lopes. No entanto, o PS acredita que pode conquistar duas autarquias lideradas historicamente pelo Partido Social Democrata: Portalegre e Viseu, distrito que chegou a ser conhecido como ‘cavaquistão’.

Já no distrito de Setúbal, os socialistas estão convictos de que vão manter a câmara do município de Almada, com Inês de Medeiros e apostam em conquistar Alcácer do Sal ao Partido Comunista Português (PCP).

Recomendadas

PremiumUnião fez a força para o centro-direita retirar câmaras aos socialistas

Coligações lideradas pelos sociais-democratas conquistaram mais 20 autarquias sem perder nenhuma. PSD isolado teve saldo nulo com PS.

PremiumEleições geram meia centena de imbróglios autárquicos

Porto e Sintra juntam-se às câmaras em que os vencedores estão em minoria na vereação e na assembleia municipal. Mais complicada que Lisboa talvez só mesmo Évora, e número de executivos minorítários disparou em relação a 2017.

Autárquicas: Chega impõe condições para se coligar com PSD e descarta acordos com PS e CDU

Em conferência de imprensa na sede do partido, em Lisboa, André Ventura abordou os resultados das eleições autárquicas de domingo, onde o Chega elegeu 19 vereadores, para referir que “não haverá qualquer acordo nacional autárquico entre o Chega e o PSD”.
Comentários