Emigrantes portugueses já se podem candidatar a ofertas de emprego do IEFP

Os portugueses no estrangeiro vão poder consultar ofertas de trabalho e candidatar-se a estas pela internet, através do site do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), uma medida que entra em vigor esta sexta-feira.

A partir desta sexta-feira, dia 3 de maio, os portugueses no estrangeiro vão poder candidatar-se a ofertas de trabalho em Portugal, através do site do Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). A novidade foi  anunciada na quinta-feira por Miguel Cabrita, secretário de Estado do Emprego.

De acordo com o comunicado oficial do Governo, atualmente há 17 mil vagas disponíveis no portal do IEFP. A partir de hoje, os imigrantes vão poder “registar-se no site e candidatar-se”, bastando para isso ter Cartão de Cidadão. A medida faz parte do programa Regressar, aprovado pelo Governo, que inclui vários incentivos para estimular o regresso de emigrantes.

O ministro da Economia já tinha anunciado no Parlamento que pretendia publicitar no estrangeiro ofertas de trabalho em Portugal, considerando que a falta de mão-de-obra é dos principais problemas das empresas. “A falta de mão-de-obra é a principal preocupação dos empresários em todas as regiões e em quase todos os setores”, afirmou Siza Vieira na audição na comissão de Economia, dia 24 de abril, acrescentando que para colmatar essas falhas o Governo estava a trabalhar para captar mais trabalhadores lá fora. “A ideia é fazer chegar as ofertas de emprego ao exterior”, disse então o ministro à Lusa.

Recomendadas

Museus e monumentos nacionais perderam 68,7% de visitantes no primeiro semestre

A descida, segundo a DGPC, revela a dimensão do impacto da pandemia de covid-19 no país, já que, entre 01 de janeiro e 13 de março de 2020, o número de entradas registadas deu-se ainda num quadro de livre circulação de visitantes portugueses e estrangeiros.

Tempo médio de atribuição de pensões pela CGA diminuiu mas continua sem cumprir lei

No global, quase metade das pensões de reforma (46%) foram atribuídas num período superior a 120 dias. Ao longo do triénio 2017-2019, o TdC revela que foram adotadas “várias iniciativas de melhoria do serviço prestado e diminuição dos tempos médios na atribuição de pensões”, em concreto no que toca aos sistemas de informação, automatização de processos e priorização das áreas de atuação.

Jerónimo Martins aumenta vendas no primeiro semestre em 6,3%, para 9,9 mil milhões de euros

O EBITDA consolidado do grupo retalhista nacional cresceu 12,6% na primeira metade deste ano
Comentários