Emitido alerta de Tsunami nas Caraíbas depois de sismo de 7.7 de magnitude

De acordo com o Serviço Geológico norte-americano, citado pela Associated Press, o epicentro do sismo foi registado a 139 quilómetros a noroeste de Montego Bay, na Jamaica, e a 140 quilómetros a sudoeste de Niquero, em Cuba.

Um sismo de 7,7 de magnitude na escala de Richter foi hoje sentido entre o sul de Cuba e o noroeste da Jamaica e as autoridades alertaram para o risco de tsunami em algumas áreas, informou o Serviço Geológico dos EUA.

De acordo com o Serviço Geológico norte-americano, citado pela Associated Press, o epicentro do sismo foi registado a 139 quilómetros a noroeste de Montego Bay, na Jamaica, e a 140 quilómetros a sudoeste de Niquero, em Cuba.

O epicentro foi a uma profundidade de dez quilómetros e há um alerta de tsunami para algumas zonas costeiras da região.

Ainda não há informação de registo de vítimas ou danos materiais.

O Serviço Geológico dos Estados Unidos tinha registado inicialmente uma magnitude de 7,3.

Os sismos são classificados segundo a sua magnitude como micro (menos de 2,0), muito pequeno (2,0-2,9), pequeno (3,0-3,9), ligeiro (4,0-4,9), moderado (5,0-5,9), forte (6,0-6,9), grande (7,0-7,9), importante (8,0-8,9), excecional (9,0-9,9) e extremo (superior a 10).

Ler mais
Recomendadas

“O racismo é veneno”. Merkel reage aos ataques em Hanau, na Alemanha

Também a presidente da Comissão Europeia condenou os ataques que provocaram 11 mortos esta quarta-feira. Além das 11 vítimas mortais, quatro pessoas ficaram feridas. Entre os mortos estão o autor dos disparos e a mãe do atacante.

Vendas de batatas fritas galegas disparam 150% depois de aparecerem no filme coreano Parasitas

A Bonilla a la vista, empresa de Arteixo na Galiza fundada em 1932, viu as vendas dispararem à medida que o filme Parasitas granjeou sucesso e venceu quatro Óscars, incluindo melhor filme.

Assassínio de Olof Palme pode ficar resolvido este ano

“Acreditamos ter uma ideia bastante clara do que aconteceu”, diz o Ministério Público sueco, encarregado de investigar a morte do primeiro-ministro, sucedida em 1986. Era um dos amigos ‘internacionais’ de Mário Soares.
Comentários