Empregos no motor de pesquisa e mais programadores. Como é o acordo entre o Governo e a Google

O memorando de entendimento assinado esta terça-feira prevê ainda a expansão do Atelier Digital, na qual os portugueses são formados sobre websites ou estratégias de negócio online, e uma ferramenta para ajudar as empresas a implementar inteligência artificial.

Rodrigo Antunes / Lusa

A Google e Governo apresentaram esta terça-feira um programa de cooperação para acelerar a digitalização dos portugueses e das empresas e melhorar as competências dos recursos humanos nacionais. Através do memorando assinado esta tarde, prevê-se o reforço do desenvolvimento da empregabilidade, do empreendedorismo/startups e da adoção da Inteligência Artificial (IA) por parte das organizações.

  • Hoje – Uma das principais novidades previstas neste protocolo é a funcionalidade ‘Empregos‘ no motor de pesquisa Google, resultado de uma parceria com o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP). Na prática, quando as pessoas pesquisarem por “empregos” no Google terão aquilo a que os promotores chamam de “uma experiência imersiva” que lhes permitirá explorar postos de trabalho na web e aperfeiçoar a busca para irem de encontro às suas necessidades. A experiência já ligou 10 milhões de pessoas a empregos em todo o mundo e pretende ter agora uma voz em Portugal.
  • A partir de terça-feira, 6 de outubro – Atelier Digital: Desde 2016, mais de 83 mil portugueses foram formados em competências digitais através deste programa de cursos online e presenciais em colaboração com o Conselho Coordenador dos Politécnicos Portugueses. No entanto, a pandemia fez com que o formato fosse convertido para o online, com um total de dez webinars com dez politécnicos diferentes. O programa será expandido e o objetivo das partes é ‘treinar’ 32 mil portugueses em competências digitais, mais 10 mil mais do que no ano passado.
  • Daqui a duas semanas, a 14 de outubro – Android Training Program: Não é novo, mas será alargado. No ano passado, a tecnológica, em parceria com instituições de educação, lançou este programa para formar os portugueses em programação. Houve 14 eventos com um total de mais de 3 mil programadores formados, mas entretanto passará a incluir formação em armazenamento na ‘nuvem’ (cloud) e machine learning, depois de novas parcerias com universidades. O objetivo é dar o selo a mais 3 mil programadores, ao longo de 12 eventos.
  • “Em breve” – Será lançada a ferramenta “AI for Business” focada única e simplesmente nos potenciais da Inteligência Artificial para transformar a forma como funcionam os negócios. A tecnológica acredita que este mecanismo irá proporcionar às empresas recomendações personalizadas sobre como podem implementarem IA.

“Este memorando é significativo, porque significa que um líder mundial nestas tecnologias coloca ao serviço da nossa comunidade um conjunto de ferramentas essenciais para que o mundo digital seja cada vez inclusivo e ao alcance de todas as organizações”, afirmou o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira, aquando da assinatura do protocolo.

“Os empregos do futuro precisam de competências digitais. É hoje mais urgente investir em pessoas e nos negócios para uma recuperação sustentada” – Bernardo Correia, country manager da Google Portugal

Na lista destaca-se ainda o programa de aceleração com a Indico Capital Partners (no âmbito da Google for Startups), que está a decorrer até junho de 2021. Em paralelo, a multinacional lançou com a Aicep três webinars gratuitos com foco na expansão internacional para mostrar como o digital pode ajudar as empresas, e em especial para as retalhistas, da escolha do mercado correto à preparação para ser uma empresa global.

O secretário de Estado para a Transição Digital considera que este acordo permitirá garantir que as empresas estão a tirar todo o potencial que o ciberespaço lhes dá, o que acaba por melhorar o seu posicionamento em termos da internacionalização.

Recomendadas

Alphabet com lucros de 11,25 mil milhões de dólares num terceiro trimestre em que receitas voltaram a crescer

Vindos do primeiro trimestre com uma diminuição de receitas na história da companhia, a empresa-mãe da Google volta agora em força, em parte empurrada pelas verbas associadas à publicidade.

Facebook aumenta lucro no terceiro trimestre impulsionado pela publicidade

A rede social também revela que conseguiu diminuir para metade as despesas relacionadas com “geral e administração”, em grande parte devido ao encerramento de escritórios um pouco por todo o mundo, acompanhando a tendência do teletrabalho.

Amazon com lucros 6,3 mil milhões de dólares, acima das previsões dos analistas

A empresa do homem mais rico do mundo conseguiu lucros e receitas acima das projeções dos analistas, sendo que, para o último trimestre do ano, a empresa antecipa resultados ainda mais fortes, naquela que é uma das maiores ganhadoras na pandemia.
Comentários