Empresa chinesa escolhida para 18 novas composições da Metro do Porto por 49,6 milhões de euros

O presidente da Metro do Porto, Tiago Braga, revelou à Lusa em outubro que, para responder ao aumento de seis milhões de passageiros deste ano, esperava “antecipar até ao fim de 2021” a contratação das composições, inicialmente previstas para as novas linhas do metro, que devem estar prontas em 2022/23.

A Metro do Porto revelou hoje que a empresa chinesa CRRC Tangsthan (chinesa) venceu o concurso para entregar 18 novas composições, por 49,6 milhões euros, menos 6,5 milhões do que o valor base do procedimento.

O concurso foi lançado em 2018 com o valor base de 56,1 milhões de euros e a adjudicação foi feita por 49,6 milhões, disse à Lusa fonte da Metro do Porto.

O presidente da Metro do Porto, Tiago Braga, revelou à Lusa em outubro que, para responder ao aumento de seis milhões de passageiros deste ano, esperava “antecipar até ao fim de 2021” a contratação das composições, inicialmente previstas para as novas linhas do metro, que devem estar prontas em 2022/23.

“Temos a decorrer um concurso para a aquisição de 18 novas composições, principalmente destinadas a servirem as novas linhas que vão estar concluídas em 2022/23. O nosso objetivo passa por antecipar a contratação e a entrega desses novos veículos, de modo a que, até ao final de 2021, eles possam estar a circular na rede do Metro, aumentando assim a oferta”, adiantou a 22 de outubro.

Tiago Braga explicou que o aumento da procura, sendo “forte desde o início de 2019”, se tornou “mais expressivo ainda desde abril, quando arrancou o PART [Programa de Apoio à Redução Tarifária]”, o designado passe único, que fez descer o valor dos bilhetes mensais dos transportes públicos.

A Metro do Porto revelou em junho que ia convidar dois dos concorrentes ao fornecimento e manutenção de 18 novos veículos para um “processo negocial”, visando “melhorar as propostas” e “suprir as lacunas” verificadas no concurso.

A empresa esclareceu na ocasião que a decisão de convidar os dois concorrentes “que apresentaram proposta de preço” (a CRRC Tangsthan e a Skoda Transportation) foi tomada porque as propostas apresentadas por três concorrentes tinham “erros impeditivos” de adjudicação.

O concurso foi lançado com a perspetiva de servir as novas linhas Rosa, no Porto, e o prolongamento da linha Amarela de Vila Nova de Gaia a Vila d’Este.

Estas novas linhas vão acrescentar seis quilómetros e sete estações à rede, representando um investimento global na ordem dos 300 milhões de euros.

Atualmente, a frota da Metro do Porto é constituída por 102 veículos: 72 do tipo Eurotram e 30 do tipo Tram-train.

O Metro do Porto opera em sete concelhos com uma rede de seis linhas, 67 quilómetros e 82 estações, utilizada por mais de 62 milhões de clientes por ano.

Ler mais
Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Novo Banco vende “Rei dos Cogumelos” em plena crise

O Novo Banco, maior credor do grupo Sousacamp, com 49% dos créditos, acordou a venda do maior produtor ibérico de cogumelos ao Core Capital.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.
Comentários