Empresa chinesa escolhida para 18 novas composições da Metro do Porto por 49,6 milhões de euros

O presidente da Metro do Porto, Tiago Braga, revelou à Lusa em outubro que, para responder ao aumento de seis milhões de passageiros deste ano, esperava “antecipar até ao fim de 2021” a contratação das composições, inicialmente previstas para as novas linhas do metro, que devem estar prontas em 2022/23.

A Metro do Porto revelou hoje que a empresa chinesa CRRC Tangsthan (chinesa) venceu o concurso para entregar 18 novas composições, por 49,6 milhões euros, menos 6,5 milhões do que o valor base do procedimento.

O concurso foi lançado em 2018 com o valor base de 56,1 milhões de euros e a adjudicação foi feita por 49,6 milhões, disse à Lusa fonte da Metro do Porto.

O presidente da Metro do Porto, Tiago Braga, revelou à Lusa em outubro que, para responder ao aumento de seis milhões de passageiros deste ano, esperava “antecipar até ao fim de 2021” a contratação das composições, inicialmente previstas para as novas linhas do metro, que devem estar prontas em 2022/23.

“Temos a decorrer um concurso para a aquisição de 18 novas composições, principalmente destinadas a servirem as novas linhas que vão estar concluídas em 2022/23. O nosso objetivo passa por antecipar a contratação e a entrega desses novos veículos, de modo a que, até ao final de 2021, eles possam estar a circular na rede do Metro, aumentando assim a oferta”, adiantou a 22 de outubro.

Tiago Braga explicou que o aumento da procura, sendo “forte desde o início de 2019”, se tornou “mais expressivo ainda desde abril, quando arrancou o PART [Programa de Apoio à Redução Tarifária]”, o designado passe único, que fez descer o valor dos bilhetes mensais dos transportes públicos.

A Metro do Porto revelou em junho que ia convidar dois dos concorrentes ao fornecimento e manutenção de 18 novos veículos para um “processo negocial”, visando “melhorar as propostas” e “suprir as lacunas” verificadas no concurso.

A empresa esclareceu na ocasião que a decisão de convidar os dois concorrentes “que apresentaram proposta de preço” (a CRRC Tangsthan e a Skoda Transportation) foi tomada porque as propostas apresentadas por três concorrentes tinham “erros impeditivos” de adjudicação.

O concurso foi lançado com a perspetiva de servir as novas linhas Rosa, no Porto, e o prolongamento da linha Amarela de Vila Nova de Gaia a Vila d’Este.

Estas novas linhas vão acrescentar seis quilómetros e sete estações à rede, representando um investimento global na ordem dos 300 milhões de euros.

Atualmente, a frota da Metro do Porto é constituída por 102 veículos: 72 do tipo Eurotram e 30 do tipo Tram-train.

O Metro do Porto opera em sete concelhos com uma rede de seis linhas, 67 quilómetros e 82 estações, utilizada por mais de 62 milhões de clientes por ano.

Ler mais
Recomendadas

Epson Europa vê Portugal como “mercado totalmente estratégico”

Raúl Sanahuja, responsável de Relações Públicas e Comunicação da Epson, considera que as empresas portuguesas são mais “ousadas” e “lançadas” na integração de tecnologia de impressão.

“Problemas no setor de aviação convertem-se em oportunidades”, considera CEO da EuroAtlantic

Quais os grandes desafios que o setor da aviação vai ter que ultrapassar? Eugénio Fernandes, CEO da EuroAtlantic, esclarece que a empresa funciona em contraciclo com o mercado e que os problemas no setor convertem-se em oportunidades. Quanto aos problemas, este responsável aponta a falta de pessoal como questão a ultrapassar.

PremiumPartner da Peugeot lidera vendas nacionais da marca

Jean-Philippe Imparato explicou ao Jornal Económico a evolução global da marca no ano passado, com uma quebra de 8,8% registada nas suas vendas mundiais (excluído o mercado do Irão).
Comentários