PremiumEmpréstimos vencidos de sociedades não financeiras descem

No setor das famílias e das instituições sem fins lucrativos o saldo dos empréstimos concedidos em setembro era de 3,3 mil milhões de euros.

Os dados são da Direção Regional de Estatística da Madeira (DREM)e referem-se ao final de setembro de 2019, altura em que o saldo dos empréstimos concedidos a cerca das 3.600 sociedades não financeiras (SNF) da Região não ultrapassava os 1,6 mil milhões de euros, número inferior em 61,3 milhões de euros, ou seja, menos 3,7%, em termos homólogos.

Até setembro de 2019, o saldo dos empréstimos concedidos a SNF tem apresentado uma tendência decrescente. No final do mês em referência, o montante de empréstimos vencidos ascendia aos 191 milhões de euros, o que representa uma diminuição em 5,5 milhões, e de menos 2,8% face ao trimestre anterior.

A redução homóloga é muito acentuada, evidenciando um decréscimo em 122 milhões de euros, menos 39,1% comparativamente a setembro de 2018. Esta evolução permitiu reduzir o rácio de empréstimos vencidos na Região, no mesmo período, de 18,8% para 11,9%. Comparativamente ao País, a Região Autónoma da Madeira (RAM) apresenta um rácio superior, sendo que no cômputo nacional, este indicador passou de 11% em setembro de 2018 para 6,4% em setembro de 2019.

A percentagem de devedores do setor das sociedades não financeiras com empréstimos vencidos era em setembro de 2019 de 21,2%, percentagem superior aos 18,9% em termos nacionais. Face a setembro de 2018, este indicador diminuiu 1,9% na região autónoma da Madeira.

No setor das famílias e das instituições sem fins lucrativos ao serviço das famílias (ISFLSF), o saldo dos empréstimos concedidos era de 3,3 mil milhões de euros em setembro de 2019, o que representa um montante inferior aos 3,4 mil milhões de euros (menos 1,3%) registado um ano antes.

Já no que toca ao trimestre anterior a variação é pouco significativa, pois nesta altura o saldo dos empréstimos concedidos era de apenas cinco milhões de euros. Desse saldo, 62,8% era referente ao segmento da habitação e o restante 37,2% ao consumo e outros fins.

Comparativamente a setembro de 2018, o saldo dos empréstimos concedidos referente ao segmento da habitação diminuiu 1,9%, enquanto no caso do consumo e outros fins a redução foi de 0,4%.

O número de devedores no setor das famílias e das ISFLSF ascendia aos 97 mil em setembro de 2019, apresentando uma tendência crescente no último ano, impulsionado pelo aumento nos devedores que contraíram empréstimo para consumo e outros fins.

Em termos homólogos, o crescimento global foi de 3,5% e neste segmento em particular de 5,5%. Já no segmento de habitação houve uma diminuição de 3,7%.

Relativamente aos empréstimos vencidos no segmento da habitação, os mesmos não ultrapassavam os 31 milhões de euros, representando um rácio de empréstimos vencidos de 1,5%, ligeiramente dos 1,1% a nível nacional.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor. Edição do Económico Madeira de 3 de janeiro.

Ler mais
Recomendadas

PremiumGrupos franceses forçam mudança na liderança da ASFAC

Estatutos da Associação de Instituições de Crédito Especializado foram alterados depois de Cofidis e Cetelem ameaçarem bater com a porta.

PremiumRui Rio consegue vitória com telhados de vidro nas diretas

Militantes reelegeram presidente após derrotas nas europeias e legislativas, mas o resultado em vários centros urbanos é mau prenúncio para as autárquicas. Luís Montenegro recusa que a derrota seja a sua morte política e Miguel Pinto Luz está à espreita.

PremiumBrexit: entre o fim do império e o regresso da independência

A União Europeia está prestes a entrar naquele que será o primeiro dia do resto da sua vida. Bruxelas não tem nada para comemorar, mas Londres acha que sim.
Comentários