Encomendas à indústria alemã sobem 5,6% em fevereiro

Ao mesmo tempo, a agência corrigiu em baixa o aumento da carteira de encomendas registado em janeiro, de 1,4% provisório para 0,8% face a dezembro do ano passado, e de 2,5% para 1,4% face a janeiro de 2020.

A carteira de encomendas da indústria alemã aumentou 1,2% em fevereiro face a janeiro e 5,6% face ao mesmo mês de 2020, de acordo com os dados provisórios divulgados esta quinta-feira pela agência federal de estatística alemã (Destatis). Excluindo grandes encomendas, a procura aumentou 1,5% em relação ao mês anterior.

Ao mesmo tempo, a agência corrigiu em baixa o aumento da carteira de encomendas registado em janeiro, de 1,4% provisório para 0,8% face a dezembro do ano passado, e de 2,5% para 1,4% face a janeiro de 2020.

Em comparação com fevereiro de 2020, o mês anterior à introdução de restrições para conter a pandemia do novo coronavírus, a procura aumentou 5,6% em fevereiro – em dados corrigidos das variações sazonais e de calendário.

Por categoria, a procura de bens intermédios aumentou 0,5% e a de bens de investimento 2,1%, enquanto a de bens de consumo diminuiu 1,9%.

Por região, a procura interna aumentou 4,0% e a procura externa caiu 0,5%.

A procura da zona euro cresceu 2,7%, enquanto a dos países terceiros caiu 2,3%.

Na comparação bimestral, as encomendas no período janeiro-fevereiro registaram um ligeiro aumento de 0,5% em comparação com novembro-dezembro, enquanto sem ter em conta as grandes encomendas, o aumento foi ligeiramente superior a 1,7%, disse o ministério da Economia alemão.

A carteira de encomendas da indústria alemã continua, assim, a sua tendência ascendente e pelo quinto mês consecutivo está acima do nível de fevereiro de 2020, o último mês antes da introdução de medidas restritivas para conter a pandemia.

Este novo aumento foi impulsionado pela boa procura interna, que aumentou 4,0%, bem como a relacionada com os setores importantes do fabrico de automóveis e de maquinaria, que registaram um aumento de 3,4% e 2,2%, respetivamente.

Ler mais

Recomendadas

Contratos para obras públicas a partir de 5 milhões vão destinar 1% para obras de arte

“Prevê-se, como regra, que 1% do preço, em contratos de valor igual ou superior a cinco milhões de euros, seja aplicado em inclusão de obras de arte nas obras públicas objeto desses contratos”, acrescenta o comunicado do Conselho de Ministros.

PRR: Investimento em infraestruturas transfronteiriças reduzido para 65 milhões de euros

Na versão submetida a consulta pública, em 16 de fevereiro, o Governo previa um investimento global de 110 milhões de euros em infraestruturas rodoviárias para assegurar as ligações transfronteiriças entre Portugal e Espanha, que no documento final, entregue esta quinta-feira, foi reduzido para 65 milhões de euros.

Fórum para a Competitividade critica PRR e pede foco na saúde, licenciamentos e turismo

O turismo merece particular destaque na nota de Perspetivas Económicas do Fórum, que relembra que o saldo acumulado da balança turística nos seis anos que antecederam a pandemia é equivalente às transferências europeias para Portugal nos próximos nove anos.
Comentários