ENEM é via verde para estudar em Portugal

A maior parte das instituições do ensino superior aceita o Exame Nacional do Ensino Médio brasileiro.

O ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio é o passaporte para os jovens brasileiros que queiram estudar em Portugal, um país europeu com quem o Brasil partilha a língua e laços históricos.

A maior parte das instituições de ensino superior portuguesas substitui as provas de ingresso pelos resultados obtidos neste exame anual, com a duração de dois dias. É composto por 180 perguntas objetivas que cobrem quatro grandes áreas do conhecimento e pela redação de um texto, sendo considerado o segundo maior do mundo de acesso ao ensino superior, depois do “Gaokao” chinês.

Em Portugal, o convénio interinstitucional com o INEP – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira – já foi assinado por 37 universidades, politécnicos e outros institutos superiores, públicos e privados, o que significa que as instituições terão um acesso mais imediato ao desempenho dos candidatos.

Na folha dos requisitos que o jovem brasileiro tem de cumprir figura também o visto de estudante, que não lhe dá, no entanto, a autorização para realizar trabalho remunerado.

Fora os candidatos brasileiros e os nacionais dos Estados-membro da União Europeia, as instituições de ensino superior portuguesas recebem estudantes internacionais para frequência integral de licenciatura/graduação e mestrado integrado ao abrigo do Estatuto do Estudante Internacional, criado pelo Decreto-Lei nº 36, de 10 de março de 2014.

Recomendadas

Receita fiscal sobe para 47.408 milhões de euros

Em ano de excedente orçamental, o Governo espera receber mais 1.276 milhões de euros do que em 2019. As receitas do IVA continuam a representar a principal fatia dos 26.878 milhões de euros estimados para os impostos indirectos.

Orçamento com poucas alterações

Para as famílias portuguesas, e em matéria de IRS, a Proposta de Lei do OE 2020 não contempla alterações com um impacto significativo.

Jaime Esteves: “Dedução fiscal para jovens que saem de casa dos pais tem impacto pequeno”

O fiscalista Jaime Esteves defende que o agravamento sucessivo da tributação do alojamento local é um dos problemas da política fiscal e que Portugal pode matar a ‘galinha dos ovos de ouro’ da recuperação económica.
Comentários