PremiumEnvelope de 3,4 mil milhões alocados a construção para habitação e mobilidade

O plano nacional foca-se sobretudo numa melhoria das vias de comunicação e do edificado, com foco na sustentabilidade.

Os quase 20% do envelope total do PRR, num total de 3,4 mil milhões de euros, dedicados à construção e obras públicas estão ligados a vários investimentos na infraestrutura nacional, tais como a expansão das vias de comunicação que servem o país ou o reforço e modernização do parque habitacional português. Juntam-se ainda outros projetos relacionados, por exemplo, com a formação profissional ou a saúde que deverão implicar a edificação ou recuperação de vários espaços, reforçando a relevância do sector da construção no plano.

Depois de, inicialmente, várias vozes terem pedido um foco do plano nacional da ferrovia, uma vertente da rede de transportes nacional com carências a nível de investimento e que permite cumprir com os objetivos de transição climática da Comissão Europeia, o Governo afastou essa possibilidade, canalizando para esta área sobretudo fundos provenientes do quadro financeiro plurianual.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

Fesap exige respostas do Governo sob pena de avançar com formas de luta

A decisão foi tomada pela comissão permanente da FESAP, que considerou que o Governo tem de responder aos problemas dos trabalhadores da administração, porque a proposta de Orçamento do Estado para 2022 não o faz.

Comissão Europeia adota programa de trabalhos para o próximo ano com 42 novas iniciativas

De um novo instrumento de emergência do mercado único, à criação de uma iniciativa relativa a um rendimento mínimo adequado, passando por uma nova estratégia para um compromisso energético internacional, entre outros objetivos, a Comissão Europeia prevê 42 novas iniciativas estratégicas para o próximo ano.

Bruxelas reabre debate sobre revisão das regras orçamentais

Instituições europeias, autoridades nacionais, parceiros sociais e universidades podem apresentar as contribuições até 31 de dezembro deste ano. Comissão Europeia dar orientações aos Estados-membros no primeiro trimestre de 2022.
Comentários