Escócia será o primeiro país no mundo a utilizar hidrogénio verde em casas

O teste tem o apoio do regulador de energia, Ofgem, que concedeu 18 milhões de libras (20 milhões de euros) para o desenvolvimento do projeto pioneiro. A concessão é parte de um concurso de financiamento que apoia a inovação para ajudar a preparar as redes de energia do Reino Unido para um futuro com baixas emissões de dióxido de carbono.

A partir de 2022, mais de 300 casas na Escócia vão ser equipadas com caldeiras de hidrogénio 100% verde, de forma gratuita, num teste que vai durar quatro anos, com o objetivo de perceber se esta fonte poderá ajudar a cumprir as metas climáticas estabelecidas pelo Reino Unido, segundo o “The Guardian”.

O hidrogénio 100% verde é feito através de água e energia renovável como forma de ajudar, para já, as famílias escocesas a substituírem as energias fósseis nas suas casas. Os lares serão equipados com caldeiras, aquecedores e eletrodomésticos munidos a hidrogénio 100% verde, de forma gratuita por integrarem o teste.

O hidrogénio verde será produzido localmente, usando eletricidade eólica produzida em centrais marítimas. A eletricidade produzida é transportada para terra via cabo submarino para dar energia a um eletrolisador instalado nesta área onde o hidrogénio verde é produzido para depois ser transportado para as casas do teste piloto, segundo o projeto da SGN.

O teste tem o apoio do regulador de energia, Ofgem, que concedeu 18 milhões de libras (20 milhões de euros) para o desenvolvimento do projeto pioneiro. A concessão é parte de um concurso de financiamento que apoia a inovação para ajudar a preparar as redes de energia do Reino Unido para um futuro com baixas emissões de dióxido de carbono. Por sua vez, o governo escocês apoiará o projeto com uma doação de 6,9 milhões de libras (7,6 milhões de euros).

Adicionalmente, a Ofgem financiará em 56 milhões de libras (62 milhões de euros) um projeto da National Grid para realizar testes de hidrogénio “off-line”, usando tubos da rede de gás antigos, para perceber se o transporte de gás hidrogénio em todo o país é seguro.

O hidrogénio 100% verde é uma parte central do plano do governo para acabar com a dependência do Reino Unido dos combustíveis fósseis, devido ao seu potencial para ser usado da mesma forma que o gás fóssil, e porque não produz emissões de dióxido de carbono. Isso é particularmente importante para o aquecimento central, que representa quase um terço das emissões de gases de efeito estufa no Reino Unido, uma vez que 85% das casas usam caldeiras a gás.

Antony Green, chefe do projeto de hidrogénio da National Grid, disse que “se realmente queremos alcançar um futuro líquido zero descarbonizado, precisamos de substituir o metano por alternativas verdes como o hidrogénio”. Setores como o aquecimento são difíceis de descarbonizar, e a importância das redes de gás para o atual fornecimento de energia do Reino Unido significa que projetos como este são cruciais se quisermos fornecer energia de baixo carbono, de forma confiável e segura para todos os consumidores.”

Ler mais
Recomendadas

Seca meteorológica terminou em dezembro em Portugal continental

Segundo o relatório anterior, no final de novembro, 62,3% do território estava em situação de chuva fraca, 33,6% em normal e 4,1% em seca fraca.

Matos Fernandes vai inaugurar mais uma ETAR, em Soure

O ministro João Pedro Matos Fernandes vai também inaugurar o Centro Ecológico do município de Soure.

Arábia Saudita anuncia criação de cidade ecológica sem carros

Uma região futurista e turística, NEOM, está na lista dos muitos megaprojetos em curso para diversificar a economia da Arábia Saudita, que depende fortemente da exportação do petróleo.
Comentários