Escola Técnica Superior Profissional nasce em Braga

Tem oferta vasta e diversificada e responde à aposta do IPCA nos cursos TESP. O investimento ronda os 2,5 milhões de euros.

Os cursos técnicos superiores profissionais, conhecidos vulgarmente por TESP, estão em expansão em Portugal. O número de estudantes deverá crescer 25% este ano letivo, totalizando os 9.625 em todo o país.

Só o Instituto Politécnico do Cávado e Ave (IPCA), instituição pioneira na oferta deste tipo de formação em 2014/2015, deverá receber 650 novos alunos. Dos três cursos, que lançou inicialmente – apoio à gestão, eletrónica, automação e comando, e aplicações móveis – e dos 180 alunos que os frequentaram, o IPCA cresceu para 1.000 alunos e 20 TESP atualmente.

“O arranque desta oferta formativa marcou o início de funcionamento do polo do IPCA em Braga”, destaca a presidente Maria José Fernandes ao Educação Internacional.

Esta aposta decisiva no ensino técnico profissional levou o IPCA a criar este ano letivo 2019/2020 uma unidade própria que vai concentrar a formação nesse contexto. Dá pelo nome de Escola Técnica Superior Profissional e arranca com 21 cursos em áreas tão diversas como tecnologia, design, hotelaria, turismo e gestão. As aulas serão lecionadas no campus do IPCA em Barcelos e nos pólos de Braga e Guimarães, e no próximo ano serão alargadas ao polo de Vila Nova de Famalicão, que, entretanto, vai ser criado.

“Estes cursos devem ser desenvolvidos em estreita colaboração com as empresas/indústria, pois têm como objetivo responder às suas necessidades de técnicos qualificados”, explica Maria José Fernandes. Já este ano letivo, fruto de um protocolo de cooperação com o DSTGroup, tem início o curso técnico superior profissional de Soldadura Avançada, que decorrerá nas instalações da empresa Bysteel que pertence a este grupo grupo empresarial.

A Escola Técnica Superior Profissional tem a sua sede em Braga num edifício que é, desde abril de 2017, propriedade do IPCA. Entre a aquisição e as obras de reabilitação, o investimento realizado atinge os 2,5 milhões de euros. A ETESP terá ainda polos em Guimarães (Ave Park) e em Vila Nova de Famalicão, no Vale de S. Cosme, nas antigas instalações da DIDAXIS. Maria José Fernandes realça ainda que “a estratégia adotada na criação dos pólos foi sempre definida em estreita articulação com os municípios onde se encontram”.

O despacho de criação da ETESP tem a data de 5 de maio de 2019 e a assinatura do ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor. Já os estatutos provisórios da instituição foram aprovados pelo conselho geral do IPCA em reunião realizada a 25 de junho.

A Escola Técnica Superior Profissional é a quinta unidade do IPCA, que integra também a Escola Superior de Gestão, criada em 1996, a Escola Superior de Tecnologia, em 2004, a Escola Superior de Design, desde 2015, e a Escola Superior de Hotelaria e Turismo, nascida em 2017.

Ler mais
Recomendadas

FCT da Universidade de Coimbra reduz pegada de carbono com mais de 1.800 painéis fotovoltaicos

As obras de instalação dos mais de 1.800 painéis fotovoltaciso tiveram o apoio financeiro do Banco Santander-Totta.

Brasil lança portal para impulsionar mobilidade académica internacional

A plataforma online, lançada durante a conferência anual da FAUBAI em Belém do Pará, disponibiliza mais de 1.300 atividades e cursos para estudantes estrangeiros.

Pais podem aprender a escolher livros para os filhos

Faculdade de Ciências Humanas da Católica promove curso livre de livro infantil, apoiado pela APEL.
Comentários