Escolas da Madeira recebem tecnologia para leitura e escrita mais inclusiva

O protocolo envolve a Secretaria Regional da Educação e a Fundação PT e tem como objectivo uma maior inclusão de alunos com necessidades especiais através da introdução de kits em formatos acessíveis.

As escolas da Madeira vão receber soluções tecnológicas de acessibilidade às comunicações e à leitura e escrita inclusiva, no âmbito de um protocolo assinado entre a Secretaria Regional da Educação e a Fundação PT.

O protocolo visa uma maior inclusão de alunos com necessidades educativas especiais, que possuem limitações na audição, visão, oralidade, ou mesmo neuromotoras ou cognitivas. Entre essa oferta inclui-se a entrega de kits de livros e atividades em formatos acessíveis: Braille, Áudio, Digital, Língua Gestual Portuguesa, Leitura Fácil, Símbolos pictográficos e Negro Ampliado.

Este protocolo realiza-se no âmbito do projecto ‘Todos Podem Ler’, que abrange actualmente 16 estabelecimentos de ensino, e que possui cinco etapas de implementação.

Destas cinco etapas faltam completar duas que incluem, em 2018, as escolas EB1/PE do Lombo Segundo, EB1/PE/C de São Vicente, EB1/PE da Lourencinha e EB123/PE Bartolomeu Perestrelo, e em 2019, os estabelecimentos escolares EB1/PE do Estreito da Calheta, EB1/PE/C do Porto Moniz, EB1/PE de São Gonçalo e EB1/PE da Lombada – Funchal.

De referir que atualmente existem 20 estabelecimentos de ensino com equipamento informático facilitador da leitura e dos kits de livros em formatos acessíveis, e existem mais quatro escolas inscritas para integrar o projeto.

Recomendadas

Docente da Universidade da Madeira homenageado em congresso de especialidades médicas

A homenagem é pelo contributo à Sociedade, a nível nacional e internacional.

Quem são os beneficiários da vacina contra a gripe

Algumas pessoas têm direito à vacina da gripe, disponibilizada gratuitamente no Serviço Nacional de Saúde, sem necessidade de receita médica. Para a receberem basta dirigirem-se aos centros de saúde.

Centro de Saúde do Arco da Calheta terá obras de remodelação no valor de 500 mil euros

No Centro de Saúde da Calheta decorrem obras. O edifício deve estar pronto em março de 2020, e os equipamentos em maio, de modo a que se inicie os cuidados de saúde.
Comentários