Espanhóis da Ferrovial ganham obras de expansão do Metro do Porto por 288 milhões de euors

Os responsáveis da empresa pública garantem que as empreitadas vão decorrer entre 2020 e 2023.

A administração da Metro do Porto anunciou há minutos que as obras de expansão das linhas rosa e amarela deste ssitema de transportes vão ser adjudicadas pelo valor global de 288 milhões de euros a um consórcio liderado pela construtora espanhola Ferrovial.

“O conselho de administração da Metro do Porto recebeu o relatório preliminar dos júris dos concursos públicos para a expansão da rede. Para a construção da linha circular (Linha Rosa), Aliados/Praça da Liberdade – Casa da Música/Boavista -, a melhor proposta é a do consórcio Ferrovial/ACA, no valor de 189 milhões de euros. Para o prolongamento da linha amarela, entre Santo Ovídio e Vila d’Este, foi também o consórcio formado pela Ferrovial e pela ACA a apresentar a proposta com a melhor avaliação, tendo o valor de 98,9 milhões de euros”, revela um comunicado da Metro do Porto, disponibilizado no ‘site’ oficial da empresa pública de transportes.

De acordo com esse documento, desta forma, está “tudo a postos para que, após o cumprimento de todos os formalismos e prazos legais, possa (…) proceder-se à adjudicação de ambas as empreitadas e que as obras arranquem no segundo semestre deste ano”.

“Estão em causa mais seis quilómetros e sete novas estações de Metro, no Porto e em Vila Nova de Gaia”, assinalam os responsáveis da Metro do Porto.

Segundo o referido comunicado, “os valores de referência para o investimento da expansão da rede do Metro eram de 235 milhões de euros para a linha rosa e de 130 milhões de euros para o prolongamento da linha amarela, pelo que os valores das propostas vencedoras de cada um dos concursos representam poupanças substanciais”.

“A nova linha rosa (circular) do Metro do Porto integrará quatro estações e cerca de três quilómetros de via, ligando S. Bento/Praça da Liberdade à Casa da Música, servindo o Hospital de Santo António, o Pavilhão Rosa Mota, o Centro Materno-Infantil, a Praça de Galiza e as faculdades do polo do Campo Alegre. Já a extensão da linha amarela, permitirá construir um troço com três estações e cerca de três quilómetros, que ligará Santo Ovídio a Vila d’Este, passando pelo Centro de Produção da RTP e pelo Hospital Santos Silva”, adianta o comunicado da Metro do Porto.

Os responsáveis da empresa pública garantem que “as empreitadas vão decorrer entre 2020 e 2023”.

Recomendadas

Ricardo Salgado. Tribunal rejeita pedido da defesa para suspender julgamento por diagnóstico de Alzheimer

A defesa do antigo banqueiro Ricardo Salgado tinha pedido a suspensão do processo, mas juiz considera que a doença não é razão suficiente para que as “capacidades de defesa do arguido estejam limitadas de tal forma que o impeçam de se defender de forma plena.

Presidente e vice-presidente da ASFAC integram a direção da associação europeia do sector

Duarte Gomes Pereira e Leonor Santos, Presidente e Vice-presidente, respetivamente, da Associação de Instituições de Crédito Especializado (ASFAC) foram eleitos para integrar a Direção da European Federation of Finance House Associations (Eurofinas).

WeWork chega ao mercado bolsista

Entrada no mercado de ações acontece depois do entrave criado pela pandemia e de uma Oferta Pública Inicial (IPO) falhada.
Comentários