Espanhóis impugnam judicialmente concurso para fornecimento de 22 comboios à CP

Espanhóis da CAF eram um dos três concorrentes e avançaram com contestação judicial. Contrato tem um valor de 167,8 milhões de euros.

O grupo espanhol Construcciones Y Auxiliar de Ferrocarriles (CAF) impugnou judicialmente o concurso para o fornecimento de 22 comboios regionais à CP. A ação, no valor de 167,8 milhões de euros, deu entrada na sexta-feira no Tribunal Administrativo de Lisboa, avança o Expresso esta segunda-feira.

A CAF é um dos três grupos finalistas no concurso que a CP lançou no início deste ano, a 7 de janeiro, para a compra das automotoras. Os outros dois são a também espanhola Talgo e a suíça Stadler. As propostas finais foram entregues a 4 de dezembro. Na corrida chegaram a estar também a alemã Siemens e a francesa Alstom. O vencedor deverá ser anunciado em breve.

Das 22 automotoras, 12 são híbridas (de forma a poderem circular nas linhas eletrificadas e nas não eletrificadas) e as outras 10 são elétricas. Estava previsto que os novos comboios chegassem a partir de 2023 mas este processo de contencioso pré-contratual poderá atrasar o fornecimento dos comboios, escreve o jornal.

Recomendadas

Estaleiros de Viana, CTT Logística e STCP apostam na inovação

A tecnologia está a diferenciar as novas soluções que respondem às necessidades dos serviços e negócios nascidos da rápida evolução que os mercados estão a ter no transporte e na logística.

Hotéis do grupo Prainha reabrem com 24 horas de intervalo em cada dormida

As unidades hoteleiras em Alvor e Lagos voltam a abrir portas na próxima sexta-feira.

Respostas rápidas: Como vai funcionar o novo Instrumento de Apoio à Solvabilidade europeu

O novo instrumento temporário proposto pela Comissão Europeia é dirigido a empresas “economicamente viáveis”, mas que enfrentam problemas de solvabilidade provocados pela crise da Covid-19. Quer desbloquear 300 mil milhões de euros para empresas situadas na União Europeia e um dos critérios de acesso é que com base nas contas de 2019 não apresentassem já necessidades de auxílios.
Comentários