Espanhola Merlin sobe 1,86% na sua estreia na bolsa de Lisboa

A imobiliária espanhola disparou na sua primeira sessão na bolsa de Lisboa. A companhia tem 10% dos seus ativos em Portugal, com uma carteira de nove ativos, representando um  investimento de 900 milhões de euros.

Isabel Ucha, presidente Euronext, e Ismael Clemente, CEO Merlin Properties | Cristina Bernardo

A imobiliária espanhola Merlin Properties subiu 1,86% na sua estreia esta quarta-feira na bolsa de Lisboa para 12,60 euros.

A cotada iniciou a negociação no índice geral da Euronext Lisboa (PSI) a cotar 12,37 euros, a cotação de fecho na bolsa de Madrid na terça-feira.

A empresa vai emitir um total de 470 milhões de ações com o valor nominal de um euro por ação. Além da bolsa de Lisboa, as ações da empresa estão a negociar nas bolsas espanholas de Madrid, Barcelona, Bilbao e Valência.

A Merlin Properties foi fundada em 2014 por ex-executivos do Deutsche Bank e contou com o apoio inicial de fundos de investimento internacionais como a BlackRock, Principal Financial Group, Marketfield, Invesco e também o grupo Santander, tendo adquirido mais de mil escritórios do banco espanhol BBVA. A principal atividade da empresa passa pela aquisição e gestão ativa de ativos imobiliários comerciais no segmento de investimento “Core” e “Core Plus”.

A empresa detém ativos imobiliários nos segmentos de escritórios, retalho e logística, principalmente em Espanha. A companhia tem 10% dos seus ativos em Portugal, com uma carteira de nove ativos, representando um  investimento de 900 milhões de euros.

Entre os seus imóveis em Portugal encontra-se a sede da Novabase no Parque das Nações em 2015, por 18 milhões de euros, em 2016 o edifício Monumental e Torre ‘A’ das Torres de Lisboa, sede da Galp, por 103 milhões, aos quais se viriam a juntar mais 124 milhões pela compra da Plataforma Logística Lisboa Norte em Castanheira do Ribatejo.

No ano de 2017 surgiram as compras do Marquês de Pombal 3 por 60,3 milhões de euros e do Central Office no Parque das Nações, no valor de 29 milhões de euros. Em 2018, deram-se as aquisições da Torre Zen no Parque das Nações por 33,3 milhões de euros e o maior negócio da Merlin Properties até ao momento em Portugal, com a compra do Centro Comercial Almada Forum por 406, 7 milhões de euros.

Já no último ano, a Merlin Properties juntou à sua carteira de imóveis portugueses o edifício Art’s e a Torre Fernão de Magalhães no Parque das Nações por 112,2 milhões de euros e por fim a aquisição da sede da Nestlé em Linda-a-Velha, por 12,5 milhões de euros. Tudo somado, a empresa imobiliária investiu até ao momento em Portugal 900 milhões de euros.

Na cerimónia de lançamento da cotada na bolsa de Lisboa na terça-feira, o presidente executivo da Merlin Properties anunciou que a empresa quer continuar a aumentar os seus ativos em Portugal de “forma paciente e efetiva”.

“Cumprimos hoje um objetivo estratégico da nossa empresa ao entrarmos na bolsa portuguesa”, afirmou Ismael Clemente, apontando que a companhia pretende ter entre 15% a 20% dos seus ativos em Portugal (atualmente nos 10%).

Ler mais

Relacionadas

“Mercado de escritórios no Porto é muito estreito”, afirma CEO da Merlin

Em entrevista ao JE, Ismael Clemente salienta, no entanto, que se “o mercado do Porto evoluir pode tornar-se um ‘hub’ tecnológico dentro de Portugal”.

CEO da Merlin Properties quer continuar a “aumentar os ativos em Portugal de forma paciente e efetiva”

Ismael Clemente marcou presença na cerimónia de admissão da empresa espanhola na Bolsa de Lisboa. “”Queremos atingir entre os 15% e 20% do nosso volume no mercado português, mas não temos nenhuma meta traçada para atingir esse número”, refere.

Isabel Ucha: “Entrada da Merlin Properties revela confiança na economia portuguesa”

Presidente do Euronext falou na cerimónia de admissão na Bolsa de Lisboa da empresa espanhola Merlin Properties.

Merlin Properties entra na Bolsa de Lisboa a valer 12,37 euros por ação

A admissão da imobiliária espanhola na bolsa portuguesa aconteceu esta tarde numa sessão realizada na sede da Euronext em Lisboa. A entrada é feita mediante o procedimento de “dual-listing” (cotação direta). A Merlin Properties já cotada em Espanha no IBEX 35 pretende assim fortalecer a sua posição no mercado português.

Merlin Properties é admitida hoje na Bolsa de Lisboa. Quem é esta empresa espanhola?

A maior empresa do setor imobiliário em Espanha cotada no IBEX 35 já atua no mercado português desde 2015 e no qual já tinha demonstrado vontade de integrar a bolsa de Lisboa em outubro do ano passado. A oportunidade surge agora com a entrada na Bolsa de Lisboa a ser feita “mediante o procedimento de dual-listing” (cotação direta).
Recomendadas

Uma maçã contra o vírus e Wall Street agradece

Wall Street respirou ontem de alívio com o aumento da confiança na capacidade das autoridades chinesas poderem conter a propagação da epidemia do coronavírus.

IGCP emite 949 milhões de euros em operação de troca para alongar prazos da dívida até 2029

Na primeira operação de troca de dívida deste ano, a instituição presidida por Cristina Casalinho adiou em oito anos o reembolso de Obrigações do Tesouro que venciam em 2021.

BCP e papeleiras impulsionam PSI 20

Na bolsa portuguesa, catorze empresas cotadas valorizam, três desvalorizam e uma negoceia sem variação.
Comentários