Especial Liga NOS. SL Benfica: Casamento entre Jorge Jesus e o plantel mais valioso da Liga

As águias entram para a temporada 2020/21 com uma equipa renovada, através do maior investimento de sempre do clube no mercado de transferências (80 milhões de euros). Depois de falharem o acesso à Liga dos Campeões, os ‘encarnados’ terão de se contentar com a Liga Europa onde se espera que sejam mais competitivos. Jorge Jesus terá uma missão complicada pela frente, mas longe de ser impossível.

Depois de, na época passada, o SL Benfica ter ficado aquém das expectativas, os dirigentes do clube da Luz decidiram fazer todos os esforços para conseguir o regresso de Jorge Jesus. O treinador português, amigo próximo do presidente dos ‘encarnados’, Luís Filipe Vieira, nunca escondeu a vontade de regressar a Portugal que, saiu reforçada, depois de lhe ser apresentado um projeto com ambições europeias.

Na temporada 2019/20, os resultados aliados às exibições colocaram em rota de colisão adeptos e clube. A venda recorde de João Félix por 126 milhões de euros deu esperança aos benfiquistas que, esperavam um investimento considerável na equipa, com o objetivo de dar o salto qualitativo que há muito ambicionam. O resultado foi precisamente o contrário, Bruno Lage tentou de tudo para conseguir rentabilizar os jogadores da formação, mas como já é normal no campeonato português, a tarefa fracassou e os resultados dos ‘encarnados’ ficaram muito aquém do esperado. Lage acabou despedido, e o SL Benfica mudou de rumo no espaço de sete meses.

As águias entram para a temporada 2020/21 com uma equipa renovada, através do maior investimento de sempre do clube no mercado de transferências (80 milhões de euros), e também o maior da história da primeira liga portuguesa. Ainda assim, depois de falharem o acesso à Liga dos Campeões, os ‘encarnados’ terão de se contentar com a Liga Europa onde se espera que sejam mais competitivos. Jorge Jesus terá uma missão complicada pela frente, mas longe de ser impossível.

Emirates – patrocinador da elite do futebol

O principal patrocinador do SL Benfica é a companhia aérea Emirates. Dá nome ao estádio, figura nos equipamentos de jogo e é um dos mais influentes patrocinadores no mundo do futebol. Com esta parceria, as águias receberam da Emirates 18,5 milhões entre 2015 e 2017, mas depois de estendido o contrato, podem receber 20 milhões de euros até 2021, segundo as informações divulgadas pelo jornal “O Jogo”.

Outro dos parceiros mais antigos do clube da luz é a Sagres. O contrato foi assinado com a Central de Cervejas em 2009, com a duração de 12 anos (até 2021). Em relação aos valores da parceria, a Central de Cervejas, através do seu presidente, Alberto da Ponte, em entrevista ao “Jornal de Notícias” adiantou que investe “em patrocínio e activação de futebol por ano, cerca de 12 milhões de euros”, sendo incerto que, deste valor, quanto é que vai para os cofres do SL Benfica.

O plantel mais valioso da Liga Nos

O plantel do SL Benfica é o mais valioso da Liga Portuguesa, 383 milhões de euros, com uma margem significativa para o segundo mais valioso, o FC Porto (299,5 milhões de euros). É natural que com os jogadores que tem à disposição, aliado à qualidade da academia, seja o mais forte candidato a vencer o título da primeira liga portuguesa.

Ruben Dias é jogador mais valioso do plantel, 35 milhões de euros, seguido de Alex Grimaldo (28 milhões de euros) e da nova contratação, o brasileiro Everton “Cebolinha”, avaliado em 28 milhões de euros pelo portal “Transfermarkt”.

Jorge Jesus é um treinador que, por norma, gosta de trazer caras novas às equipas por onde passa e este ano não foi exceção. A qualidade que já têm à disposição é inegável, mas ainda assim o experiente treinador português não descarta chegadas nem saídas.

Investimento de 80 milhões de euros é o maior da história

Para a temporada 2020/21 o SL Benfica contratou seis jogadores, que custaram aos cofres da Luz 80 milhões de euros. Os investimentos recaíram sobretudo no mercado estrangeiro, com a chegada de Everton “Cebolinha”, Darwin Nuñez (o reforço mais caro de sempre do campeonato português), Pedrinho, Gilberto, Jan Vertonghen e o avançado alemão Luca Waldschmidt.

No que toca às vendas, os seis jogadores que abandonaram o plantel ‘encarnado’ permitiram um encaixe muito pequeno, “apenas” 1,92 milhões de euros. Por não terem alcançado a fase de grupos da Liga dos Campeões, é expectável que o SL Benfica esteja disposto a vender alguns jogadores, para colmatar os milhões perdidos da principal competição de clubes europeus.

Jorge Jesus não sente a “pressão”

Jorge Jesus é um treinador conhecido pelo futebol das suas equipas. Exigente e apaixonado pelo futebol, procura sempre que os seus jogadores dêem o máximo nos treinos e nos jogos. Com a possibilidade de competir na Europa, uma das grandes ambições do treinador, a exigência aos jogadores é alta. Com Jesus ao leme da máquina ‘encarnada’, deveremos a assistir a um SL Benfica muito competente, na disputa por todas as competições.

Entre os principais jogadores do clube da Luz, Everton e Pizzi merecem o nosso destaque. O internacional português há muito tempo que tem sido um dos melhores jogadores da Liga Portuguesa, inclusive vencendo o prémio em 2018/2019. Por sua vez, o Internacional Brasileiro, apesar de ter jogado toda a sua carreira no campeonato brasileiro, integrou a equipa da seleção brasileira que, em 2019, venceu a Copa América, onde foi o melhor marcador da competição. Chega a Portugal para dar o salto na carreira.

Rúben Dias, titular da seleção portuguesa, e um dos capitães do SL Benfica, será outra das figuras chave para a temporada que se avizinha. O jogador internacional português tem mostrado que tem qualidade para estar na elite do futebol europeu e, com Jorge Jesus como treinador, poderá finalmente dar o salto qualitativo que lhe falta na carreira.

Ler mais
Relacionadas

Especial Liga NOS. FC Porto: Campeão nacional quer renovar o título com equipa avaliada em 300 milhões de euros

Na época passada, o investimento no plantel foi um dos maiores de sempre (63,1 milhões de euros), mas nem todos os reforços tiveram o rendimento esperado pelo treinador, Sérgio Conceição. Com algumas saídas e entradas, o plantel do FC Porto é equilibrado e com toda a certeza será o mais forte candidato a conquistar o título, mesmo que não abra os cordões à bolsa como na época anterior.

Especial Liga NOS. Sporting CP: Aposta na formação volta a ser prioridade

À entrada para a temporada 2020/21, o fosso para os rivais aumentou, mas o talento da formação poderá surpreender. Sem público nos estádios, a receita de bilheteira obviamente será um problema para o clube leonino, mas sem a pressão dos adeptos a adaptação dos novos jogadores, incluindo os da formação, poderá ser facilitada.

Especial Liga NOS. SC Braga: de formador de treinadores à quarta potência futebolística

As conquistas da Taça da Liga e da Taça de Portugal cimentaram a capacidade futebolista dos bracarenses que esperam dar seguimento ao bom momento dos últimos 20 anos, afirmando-se como a quarta potência futebolística do futebol português.
Recomendadas

Liga dos Campeões: ‘Dragões’ enfrentam segundo plantel mais valioso do mundo

Após terem perdido dois dos jogadores mais valiosos do plantel, Danilo Pereira e Alex Telles, a que se juntam a derrota frente ao Marítimo e o empate frente ao Sporting CP no campeonato, a vontade dos ‘dragões’ darem uma resposta positiva é inquestionável, mas pela frente terão o segundo plantel mais valioso do mundo.

Liverpool FC e Manchester United querem impulsionar criação da Superliga Europeia com cinco mil milhões de euros

O formato da superliga europeia permitiria um máximo de cinco equipas por liga, maioritariamente constituída por clubes de Inglaterra, Espanha, Itália, França e Alemanha (Big Five). Um dos principais propósitos da sua criação é substituir a Liga dos Campeões a partir de 2022.

Manchester United com prejuízos de 25,5 milhões de euros no primeiro semestre

O emblema inglês tinha registado lucros de 20 milhões no mesmo período de 2019, mas a suspensão do campeonato devido à pandemia do coronavírus levou a uma perda de 40% nas receitas televisivas.
Comentários