Espetáculo em ecrã de água conta história da Madeira no Cais do Funchal

O espectáculo inclui ainda os laços que unem a Madeira a territórios como Inglaterra, Áustria e Estados Unidos da América.

Um espectáculo multimédia em ecrã de água na Marina do Cais 8, que vai incluir momentos da história da Região Autónoma, é uma das propostas para esta sexta-feira no Funchal a partir das 23h00.

A iniciativa vai fazer uma viagem por vários momentos que compõem a história da Madeira e do Porto Santo num espectáculo feito em associação com o Festival do Atlântico e as comemorações alusivas aos 600 anos do descobrimento da Madeira e Porto Santo.

“Estamos a falar de uma celebração que só faz sentido se for vivida em conjunto, com aqueles que aqui vivem mas, também, com os turistas que nos visitam e é evidente que os nossos cartazes turísticos têm vindo a cumprir essa função, integrando novos e mais atrativos conteúdos nos seus programas, como foi o caso deste espetáculo”, referiu Paula Cabaço, secretária regional do Turismo e Cultura.

O espectáculo vai incluir a projeção de imagens em ecrã de água com imagens referentes aos descobrimentos da Madeira e do Porto Santo e os laços com territórios como Inglaterra, a Áustria e Estados Unidos.

Nesta projeção vão estar momentos como “o saque do Funchal por corsários franceses”, a “Declaração da Independência dos Estados Unidos da América celebrada com Vinho Madeira”, a “presença da Imperatriz Sissi e de Winston Churchill na Madeira”, a “consagração da Autonomia político-administrativa da Região” e “os prémios arrecadados pelo turismo”.

Recomendadas
Créditos: Amílcar Figueira

Orçamento Regional para 2020 aprovado na generalidade

Em discussão estava também o Plano e Programa de Investimento e Despesas de Desenvolvimento da Administração da Região (PIDDAR), que foi aprovado com os votos favoráveis do PSD e do CDS, a abstenção do Partido Socialista e os votos contra do JPP e do PCP.

Prescrição de dívidas: o que deve saber

As dívidas advindas do uso de cartões de crédito, descobertos em contas à ordem ou linhas de crédito têm um prazo de prescrição de 20 anos.

Direção Clínica do SESARAM em impasse

Filomena Gonçalves também já se retirou de cena, segundo a própria revelou ao mesmo órgão de comunicação regional, devido à “passividade” do seu anterior partido (CDS), pelo qual tinha sido proposta, e por “nunca ter sido desejada pela tutela” para desempenhar aquele cargo.
Comentários