“Esta é uma oportunidade para mostrar aos holandeses um Portugal inovador que está na frente da digitalização da economia”

O primeiro-ministro holandês está numa visita oficial a Portugal esta quarta-feira. Governo quer mostrar a Mark Rutte que o país é um “protagonista da transformação digital da indústria e dos serviços”.

O primeiro-ministro holandês está de visita a Portugal e vai reunir-se com o primeiro-ministro esta quarta-feira, 3 de abril. A visita de Mark Rutte vai ser uma oportunidade para Portugal mostrar os seus progressos na digitalização da economia, acredita o Governo português.

“Vamos ter a possibilidade de mostrar ao primeiro-ministro holandês aquilo que estamos a fazer na área de investigação e desenvolvimento, e também no desenvolvimento de serviços de valor acrescentado”, começou por salientar o secretário de Estado da Internacionalização.

“Esta é uma oportunidade de mostrar aos holandeses um Portugal inovador que está na frente da digitalização da economia, e que é um país moderno capaz de ombrear e de oferecer serviços de elevado valor acrescentado no mundo inteiro”, disse Eurico Brilhante Dias em declarações ao Jornal Económico.

Mark Rutte é primeiro-ministro dos Países Baixos desde 2010 e também líder do seu partido, o VVD (Partido do Povo para a Liberdade e Democracia). Na sua agenda para esta visita, está um encontro com o primeiro-ministro António Costa. Os dois homólogos váo visitar hoje a Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, no Monte da Caparica.

“Na visita aos laboratórios e aos centros de investigação da Universidade Nova de Lisboa, o primeiro-ministro Mark Rutte vai ter oportunidade de ver como a investigação e o desenvolvimento, e a relação entre as universidades e as empresas portuguesas, está a gerar um tecido económico que produz produtos e serviços de maior valor acrescentado”, afirmou.

Eurico Brilhante Dias destacou a “fortíssima transformação da economia portuguesa e o aumento significativo de investimento estrangeiro em setores de grande desenvolvimento tecnológico como os ultimos da Google, da Volkswagen, da Daimler, ou da BMW com a Critical Software. Este padrão de captação de investimento é um padrão que está a alavancar a transformação do valor acrescentado das exportações nacionais, com forte presença e aumento do peso relativo dos serviços, e dos serviços relacionados com a tecnologia”.

“Para além de sermos o país que acolhe a Websummit, nós somos um protagonista dessa própria transformação digital da indústria e dos serviços. Nestas visitas há sempre um momento em que podemos mostrar que essa transformação está a ocorrer e que Portugal”, destacou.

A relevância das relações comerciais entre as duas nações pode ser atestada através dos dados.  A Holanda foi o quinto país que mais exportou bens para Portugal em 2018, pesando 5% (3,9 mil milhões) no total de importações, num ranking dominado por Espanha com um peso de 31% (23,6 mil milhões de euros). Em termos de exportações de bens, a Holanda foi o sexto maior destino dos bens produzidos em Portugal, valendo 2,2 mil milhões de euros.

“A Holanda está claramente no top 10 dos nossos parceiros comerciais, é um país que tem um potencial logístico fantástico em particular com o porto de Roterdão. É a base da European Space Agency, onde algumas empresas como a Active Space começaram, e hoje desenvolvem as suas atividades em Portugal. É um país onde a própria DST, empresa portuguesa da área de construção, tem um projeto muito interessante na modernização do aeroporto de Schiphol [em Amesterdão]”, afirmou.

“O mercado holandês é um mercado importante também de atração de turismo e de algum investimento na área do imobiliário. Continuamos a acompanhar muito de perto o mercado holandês”, concluiu o secretário de Estado da Internacionalização.

Ler mais

Relacionadas

Eurico Brilhante Dias anuncia garantias financeiras para exportação para o Gana

Exportam neste momento para o Gana cerca de 270 empresas portuguesas “mas o objectivo é que este número atinja pelo menos o milhar”, Lê-se no comunicado.

Exportações devem atingir 50% do PIB até meados da próxima década

Eurico Brilhante Dias salientou a necessidade de apostar na diversificação de mercados, porque apesar de ter diminuído o número de empresas que exportam para um só mercado – menos de duas mil –, ainda há empresas em que isso acontece, e são cerca de dez mil.

“Para diversificar risco temos que diversificar exportadores, não chega diversificar mercados”, defende Brilhante Dias

Secretário de Estado da Internacionalização referiu que as exportações deverão ter um peso de 44% no PIB e que pelo sétimo ano consecutivo o país registou um superavit na balança de bens e serviços.
Recomendadas

António Costa deixa Haia “mais confiante” num acordo no Conselho Europeu

O primeiro-ministro, António Costa, disse hoje deixar Haia “mais confiante” num acordo no Conselho Europeu desta semana sobre o plano de recuperação europeu, por ter sentido também “claramente” no seu homólogo holandês “uma grande vontade” num compromisso.

Merkel manifesta incerteza sobre aprovação do plano de relançamento na cimeira europeia

A chanceler alemã Angela Merkel manifestou hoje incerteza pela possibilidade de um acordo entre os 27 países da União Europeia (UE) sobre um plano de relançamento de 750 mil milhões de euros proposto para enfrentar a pandemia do coronavírus.

Covid-19: Orçamento Suplementar da Madeira com reforço de 287,7 milhões de euros e sem agravamento fiscal

A proposta de Orçamento Suplementar da Madeira adiciona 287,7 milhões de euros ao valor aprovado para 2020, passando de 1.743 milhões de euros para 2.030 milhões, indicou hoje o vice-presidente do Governo Regional, sublinhando que não haverá qualquer agravamento fiscal.
Comentários