Está mais caro arrendar um quarto em Lisboa. Estudantes podem pagar em média 400 euros por mês

Apesar de Arroios ser o o bairro de Lisboa mais procurado por estudantes, Alameda e Entrecampos apresentam rendas médias de 416,1 e 422,9 euros respetivamente, de acordo com o estudo da Uniplaces.

Numa altura em que os estudantes vão começar a procurar habitação em Lisboa, foi divulgado um estudo da Uniplaces que esclarece que, na zona de Arroios (a mais procurada por estudantes portugueses e de outras nacionalidades), apresenta um valor médio de arrendamento de quarto privado de 379,31 euros nesta zona, um aumento de 6,8% face a 2018.

Apesar de Arroios ser o o bairro de Lisboa mais procurado por estudantes, Alameda e Entrecampos apresentam rendas médias de 416,1 e 422,9 euros respetivamente, de acordo com o mesmo estudo. Alcântara, Sete Rios e São Sebastião são as zonas de Lisboa menos procuradas com uma renda média mais elevada no valor de 416,54 euros.

Rio Tinto é a zona mais cara para se estudar no Porto

O estudo da Uniplaces indica que, no Porto, são as zonas de Paranhos, Cedofeita e Bonfim as mais procuradas pelos estudantes nacionais e internacionais. Paranhos, a zona mais procurada, apresenta uma renda média de 296,57 euros, valor que sofreu um aumento de 4% face ao ano anterior. No caso de Cedofeita e do Bonfim, estas zonas registaram uma renda média de 311 e 312 euros, respetivamente. Rio Tinto surge como a zona mais cara para se estudar, com uma renda média de 338,94 euros.

Durante este período, e comparando as duas cidades em termos globais, Lisboa apresenta um valor médio de arrendamento de 399,56 euros, uma subida de 7,6% em relação a igual período de 2018, e a cidade do Porto um valor médio de 299,16 euros tendo também verificado um aumento de 5,6% face ao período homólogo.

Recomendadas

Crédito habitação: Juros voltam a cair oito meses depois

Este valor representa uma ligeira descida de 1,0 pontos percentuais face ao registado no mês de junho. (1,087%). Nos contratos celebrados nos últimos três meses, a taxa de juro passou dos 1,305% para os 1,306%.

Prata Riverside Village vai mostrar nova centralidade de Lisboa

O objetivo do Open House Lisboa é “descentralizar, diversificar e ampliar o conhecimento arquitetónico da capital”, durante o próximo fim de semana, 21 e 22 de setembro, e o Prata Riverside Village foca-se nisso, uma vez que se localiza numa das zonas esquecidas da cidade de Lisboa.

CCB espera escolher e fazer contrato ainda este ano para hotel e zona comercial

Em causa está a análise da única proposta candidata ao projeto, apresentada pela construtora Mota-Engil, e a comissão criada para o efeito terá ainda de avaliar se são cumpridos todos os requisitos do caderno de encargos.
Comentários