Estado Islâmico reivindica ataque em Las Vegas

O Estado islâmico reivindicou a autoria do ataque de domingo à noite em Las Vegas, reclamando que o atacante se havia convertido ao islamismo “há poucos meses”.

Em comunicado, a Amaq, agência do Estado Islâmico, reivindicou recentemente a autoria do ataque do passado domingo em Las Vegas, que resultou na morte de mais de 50 pessoas e em 400 feridos.

“O ataque de Las Vegas foi feito por um soldado do Estado Islâmico em resposta ao pedido para atacar países da coligação”, dizia o comunicado, citado pela Reuters.

O mesmo comunicado explica que “o atacante de Las Vegas converteu-se ao islamismo há poucos meses”, justificando assim a ligação deste incidente à jihad.

Recorde-se que o atirador já foi identificado como sendo Stephen Paddock, de 64 anos, um cidadão dos EUA com um registo criminal “limpo” e sem qualquer laço conhecido com qualquer grupo militante.

Uma vez que Paddock se suicidou antes de a polícia poder entrar no quarto onde se havia barricado, as forças da ordem afirmaram não possuir qualquer tipo de informação sobre porque havia cometido aquele que é, até à data, o pior ataque do género em solo americano, suplantando o massacre de Orlando, em 2016, que vitimou mortalmente 49 pessoas.

Segundo a Reuters, fontes governamentais afirmaram que o nome de Stephen Paddock não estava em nenhuma base de dados de suspeitos de terrorismo.

Ler mais
Relacionadas

Las Vegas: Algoritmo da Google aponta para site que identifica de forma errada o atirador

Numa pesquisa no Google sobre o atirador de Las Vegas, surge o nome de Geray Danley no site 4chan, associado à alt-right e conhecido por colocar em circulação notícias falsas.

Ataque em Las Vegas faz 58 mortos

Um homem de 64 anos disparou sobre a multidão que assistia a um festival nas imediações de um casino em Las Vegas, causando a morte a 20 pessoas e ferindo mais de 100. A polícia já abateu o responsável.
Recomendadas

Eleições Guiné-Bissau: CNE confirma vitória de Embaló

A CNE rejeitou as reclamações apresentadas pelo representante da candidatura de Domingos Simões Pereira.

Covid-19: países vizinhos de Itália decidem manter fronteiras abertas

Uma reunião que juntou vários países considerou que o encerramento das fronteiras “seria um erro e [uma medida] desproporcional”.

OMS diz que o mundo não está preparado para enfrentar epidemia do Covid-19

O especialista da Organização Mundial de Saúde diz que “devemos estar prontos para gerir isto [uma epidemia] a uma grande escala, e isso deve ser feito rapidamente”.
Comentários