Estado mantém opção de regressar ao capital dos CTT

O ministro Pedro Nuno Santos garante que está focado no processo de renegociação do contrato de concessão dos correios.

Cristina Bernardo

O Estado português, pela mão do Governo liderado por António Costa, mantém em aberto a opção de regressar ao capital dos CTT, garantiu hoje, dia 13 de janeiro, Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas e da Habitação, na audição parlamentar sobre a discussão na especialidade do OE 2020, que está a decorrer na Assembleia da República, no âmbito da Comissão de Economia e Obras Públicas.

“Não excluímos nenhum cenário. Estamos a preparar a renegociação do contrato de concessão. Em relação ao inventário [do património] da empresa, é difícil termos conhecimento do mesmo, o que deixaria o Estado relativamente desprotegido se excluíssemos o regresso ao capital dos CTT. E nós não excluímos o regresso do Estado ao capital da empresa, mas também não temos essa decisão tomada em cima da mesa”, assegurou o ministro das Infraestruturas.

Neste momento, Pedro Nuno Santos está concentrado no processo de renegociação do contrato de concessão, querendo garantir que os CTT vão votar a estar presentes em todo o território nacional, assim como o relacionamento dos CTT& com as juntas de freguesia, num trabalho que está a ser desenvolvido em conjunto com a ANAFRE – Associação Nacional de Freguesias.

“Queremos garantir presença em todo o território. Isso não foi garantido na privatização e por isso é que os CTT desapareceram de 33 concelhos do país”, acusou o governante.

Pedro Nuno Santos relembrou ainda que na União europeia só há quatro países que têm as suas empresas de correios privatizadas a 100%: Holanda, Reino Unido, Malta e Portugal.

Relacionadas

Pedro Nuno Santos: compra de novos comboios para a CP “não é de resolução rápida”

O ministro das Infraestruturas admite que a necessidade de novo material circulante para a ferrovia nacional irá implicar o lançamento de concursos demorados, que só deverão estar resolvidos, na melhor das hipóteses, dentro de quatro anos.

Novo aeroporto “é determinante e crítico” para o país, salienta Pedro Nuno Santos

“Para um país periférico como Portugal o investimento aeroportuário, o novo aeroporto na região de Lisboa, é determinante, é crítico para que o nosso povo possa viver melhor”, afirmou o ministro numa audição conjunta nas comissões parlamentares de Orçamento e Finanças e de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, no âmbito da apreciação na especialidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020).

Pedro Nuno Santos manda a IP assegurar os direitos dos vigilantes das estações ferroviárias

Em 2019, a PSG ganhou o concurso para garantir a vigilância das estações da rede ferroviária nacional, anteriormente assegurada pela Strong Charon. A PSG tentou obrigar cerca de 500 vigilantes da antiga empresa a perder os direitos de antiguidade para continuarem a trabalhar. Pedro Nuno Santos exige que a administração da IP coloque travão a esta situação, sugerindo mesmo o fim do contrato.
Recomendadas

Ouro atinge máximos desde 2013 devido à propagação do coronavírus

A cotação da onça de ouro registou hoje novos máximos desde 10 de abril de 2013 ao atingir 1.585,73 dólares.

Ifo: Indicador que mede o clima empresarial degrada-se na Alemanha

Sentimento empresarial alemão agrava inesperadamente em janeiro. O índice que mede o clima dos negócios da Ifo caiu de 96,3 pontos em dezembro para 95,9 pontos em janeiro. A bolsa alemã está a refletir-se dos maus dados macroeconómicos e o Dax cai mais de 2%.

PJ faz buscas em clínicas privadas por suspeitas de fraude ao SNS

Foram constituídos dez arguidos e foi detido, em flagrante delito, um profissional de saúde do sexo masculino com 65 anos. PJ realizou nove buscas domiciliárias e duas a clinicas privadas. Na mira da justiça está a missão de atestados médicos falsos e prescrição de receituário comparticipado a 100% pelo SNS, para aquisição de hormonas de crescimento.
Comentários