Estado pode travar venda das barragens da EDP

Ministério do Ambiente e Transição Energética ainda não terá sido formalmente informado sobre a intenção de venda destes ativos.

O Estado português poderá travar o processo de venda das barragens da EDP – Energias de Portugal porque a operação só pode ser feita com a autorização expressa “do concedente”, escreve o jornal “Expresso” na edição deste sábado, 14 de setembro.

“A transação da utilização do domínio público hídrico, em todos os contratos de barragens em Portugal, só pode ser efetuada com o consentimento expresso do concedente, a saber, o Estado. Essa autorização é apreciada caso a caso e apenas após solicitação do interessado”, explicou ao semanário fonte oficial do Ministério do Ambiente e Transição Energética.

A EDP pretende vender ativos no valor de 2 mil milhões de euros nos dois países ibéricos nos próximos anos, segundo o plano estratégico da elétrica portuguesa. Entre os convidados para a apresentação de ofertas vinculativas estão a espanhola Iberdrola, a francesa Engie, a austríaca Verbund, a norueguesa Statkraft e o fundo australiano Macquarie.

Neste momento, a empresa liderada por António Mexia está à espera da entrega de ofertas vinculativas, que devem ocorrer até ao final do mês, mas a mesma fonte do gabinete de João Pedro Matos Fernandes indica ao “Expresso” que o Governo ainda não foi formalmente informado da intenção de venda das barragens.

PremiumEndesa de olho nas barragens da EDP

Ler mais
Recomendadas

Hoje às 15h assista à JE editors Talks: Transportes e Logística

Uma conversa sobre o impacto que a Covid-19 teve no setor dos Transportes e Logística, nomeadamente na rápida adaptação e transição tecnológica. Assista em direto a partir das 15h desta quinta-feira.

Hoje às 17h assista à JE editors Talks: Combate à Pandemia

Não perca em direto, a partir das 17h desta quinta-feira, uma conversa sobre o combate à pandemia feito pelas empresas portuguesas — e o que espera o futuro das mesmas em termos de adaptação.

Holding da família Queiroz Pereira reforça na Semapa

A Sodim (holding que controla a Semapa) comprou fora de bolsa mais 1.017% da dona da Navigator e da Secil.
Comentários