Estados Unidos alteram lista de produtos europeus sujeitos a taxas alfandegárias

A nova tabela exclui alguns gregos e britânicos e inclui outros alemães e franceses, mantendo a taxa entre 15% e 25%. A taxa sobre os aviões Airbus manteve-se nos 15%.

Peter Nicholls/Reuters

O Governo dos Estados Unidos (EUA) anunciou esta quarta-feira uma “modesta modificação” da lista de produtos europeus sujeitos a tarifas alfandegárias, excluindo alguns gregos e britânicos e incluindo outros alemães e franceses, mantendo a taxa entre 15% e 25%.

“A União Europeia e os Estados-membros não tomaram as ações necessárias para cumprir com as decisões da Organização Mundial do Comércio (OMC)”, indicou o representante dos EUA para o Comércio Externo, Robert Lighthizer, em comunicado.

Não obstante, Lighthizer adiantou que vai começar “um novo processo para alcançar” uma solução “duradoura”. Lighthizer qualificou as alterações como “modestas” e realçou que “o volume de produtos europeus sujeitos a estas medidas continuará sem alterações, em 7,5 mil milhões de euros, e as taxas em 15% sobre produtos aeronáuticos e 25% para os outros”.

Esta modificação entra em vigor a 1 de setembro próximo.

A decisão de Washington foi tomada apesar de a Airbus ter informado em junho que renunciava às condições preferenciais nos créditos concedidos por Espanha e França para a construção do seu avião A350, que foram considerados pela OMC como ajudas ilegais, e do pedido do comissário europeu do Comércio, Phil Hogan, para que os EUA retirassem as tarifas, por as considerar “injustificadas”.

A medida é o último episódio da disputa comercial nascida do conflito resultante dos subsídios que recebeu o construtor aeronáutico europeu Airbus em detrimento do rival norte-americano Boeing, que a OMC resolveu em favor de Washington.

Por esse motivo, a instituição internacional autorizou os EUA a impor sanções a produtos da União Europeia e do Reino Unido pelos mencionados 7,5 mil milhões de euros.

Ler mais

Recomendadas

Programa Valorizar apoia 24 projetos no Ribatejo e Alentejo em 7 milhões de euros

O apoio abrange projetos nas áreas do autocaravanismo, turismo literário, praias fluviais, estações náuticas, enoturismo e recursos endógenos.

Receita de IRC passa para níveis de 2014. São menos 1,5 mil milhões em 2020

“Andámos seis anos para trás em termos de receita do IRC”, diz Renato Carreira, Tax Partner da Deloitte. Fiscalista recorda que rombo na receita fiscal é em grande parte explicado pelo adiamento dos pagamentos por conta que só serão feitos pelas empresas se no final do ano tiverem lucros que os justifiquem. E a previsão é mais empresas com mais prejuízos, logo menos impostos a entrarem nos cofres do Estado.

Derrocada na Praça de Espanha. “Não estão reunidas as condições para abrir o túnel”, diz vereador

“Todas as pessoas foram evacuadas. Estavam cerca de 300 pessoas dentro da carruagem, das quais resultaram três feridos, mais o segurança. Vão já começar os trabalhos para que sejam retomadas as condições de normalidade o mais depressa possível. Numa análise muito preliminar, prevê-se pelo menos um a dois dias de interrupção”, garantiu o responsável autárquico.
Comentários