PremiumEstados Unidos no princípio do fim da era Trump

A proximidade a Donald Trump vai começando a ser considerada tóxica entre os republicanos: as hostes do presidente diminuem todos os dias. Mas os primeiros tempos de Joe Biden na Casa Branca podem ser um tormento.

Seja qual for o desfecho que o impeachment, o segundo, lançado sobre o presidente dos Estados Unidos ainda em exercício, parece cada vez mais certo que o tempo político de Donald Trump está a chegar ao fim. As primeiras tensões dentro das fileiras de Trump aconteceram logo a 4 de novembro – dia a seguir às eleições presidenciais – quando se tornou claro que, como tinha prometido, não iria aceitar os resultados da votação se se desse o caso de lhe serem desfavoráveis.

Em pouco tempo, vários funcionários da sua administração viraram costas a Trump e uma série de republicanos de topo (entre eles o líder do partido no Senado, Mitch McConnell) passou a manifestar pública discordância em relação às iniciativas do presidente para suspender as contagens, promover recontagens e desclassificar resultados. Tudo ficou um pouco pior quando, na passada semana, os apoiantes mais radicais de Trump invadiram o Capitólio – sede do poder popular da federação – depois de a isso terem sido aparentemente incitados. Nesse dia, o vice-presidente Mike Pence foi a principal ‘baixa’ nas hostes da Casa Branca, ao recusar colocar em causa a votação do Colégio Eleitoral, que dava o democrata Joe Biden como vencedor a 3 de novembro.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumLagarde e Powell permitem inflação pontual

As autoridades monetárias pretendem continuar com a sua política acomodatícia apesar de “pontuais” subidas da inflação pós-pandemia.

Premium‘Dragões’ e ‘leões’ com os olhos no título e nos milhões

FC Porto e Sporting CP entram em campo separados por 10 pontos. Em causa está não só o título nacional, como a própria entrada direta na Liga dos Campeões que, no caso dos portistas, poderá levar a vendas de jogadores devido ao fair-play financeiro.

PremiumExploração espacial: Todos os caminhos vão dar a Marte

O planeta vermelho está por estes dias cheio de trânsito: três missões – dos Estados Unidos, da China e dos Emirados Árabes Unidos – evoluem em paralelo, na tentativa de darem a perceber melhor as suas caraterísticas, até porque a NASA pretende trazer amostras recolhidas pela Perseverance de volta para a Terra. Entre o sonho humano de chegar sempre mais longe e a vontade política de comandar esse sonho, Marte é a próxima fronteira.
Comentários