Estados Unidos testam mísseis no mesmo dia da Coreia do Norte

Os EUA testaram esta quinta-feira um míssil intercontinental, no mesmo dia em que a Coreia do Norte terá lançado dois mísseis de curto alcance, admitiram a Força Aérea norte-americana e o exército da Coreia do Sul.

KCNA/via REUTERS

A Força Aérea dos EUA nega que o teste de hoje, o segundo em pouco mais de uma semana, esteja relacionado com a situação na Coreia do Norte ou o momento de tensão com o Irão, país junto do qual os norte-americanos reforçaram esta semana a sua presença militar.

A Força Aérea norte-americana admitiu ter lançado um míssil balístico intercontinental Minuteman 3, desde a base de Vandenberg, na Califórina.

Também hoje, militares da Coreia do Sul dizem ter testemunhado o disparo de dois mísseis de curto alcance desde a Coreia do Norte.

O teste com o míssil intercontinental norte-americano faz parte de uma bateria de experiências com este tipo de armas de longo alcance, para verificar a sua aptidão para um possível combate.

A Força Aérea dos EUA faz, normalmente, quatro a cinco testes deste tipo, anualmente.

O teste de mísseis de curto alcance da Coreia do Norte foi o segundo em cinco dias e constitui mais um sinal de que este país estará a retomar o seu programa de armas nucleares.

Segundo o exército da Coreia do Sul, os mísseis do país vizinho terão voado 420 quilómetros, um, e 270 quilómetros, outro.

O Ministério da Defesa do Japão disse que nenhum dos mísseis da Coreia do Norte chegou perto da costa do país.

Ler mais
Recomendadas

Novo Presidente argentino quer agenda ambiciosa com o Brasil, para além da tensão com Jair Bolsonaro

O Presidente da Argentina, Alberto Fernández, destacou esta terça-feira no Brasil no seu discurso de posse no parlamento e pediu uma “agenda ambiciosa” apoiada pela história dos dois povos e não pela “diferença pessoal” com o seu homólogo brasileiro, Jair Bolsonaro.

Boris Johnson admite risco de falhar maioria absoluta nas eleições legislativas

Johnson aludiu às eleições de 2017, quando a antecessora Theresa May tinha uma vantagem nas sondagens mas acabou por não conseguir uma maioria de deputados na Câmara dos Comuns, precisando do apoio do Partido Democrata Unionista (DUP) da Irlanda do Norte para formar governo.

Boris Johnson recria cena da porta do filme “O amor acontece”. Hugh Grant já criticou vídeo

Na nova versão, o primeiro-ministro britânico pede o voto ao seu eleitorado para que o Reino Unido consiga avançar no processo do Brexit. Hugh Grant, que entrou no filme, já criticou o filme.
Comentários