Estados Unidos testam mísseis no mesmo dia da Coreia do Norte

Os EUA testaram esta quinta-feira um míssil intercontinental, no mesmo dia em que a Coreia do Norte terá lançado dois mísseis de curto alcance, admitiram a Força Aérea norte-americana e o exército da Coreia do Sul.

KCNA/via REUTERS

A Força Aérea dos EUA nega que o teste de hoje, o segundo em pouco mais de uma semana, esteja relacionado com a situação na Coreia do Norte ou o momento de tensão com o Irão, país junto do qual os norte-americanos reforçaram esta semana a sua presença militar.

A Força Aérea norte-americana admitiu ter lançado um míssil balístico intercontinental Minuteman 3, desde a base de Vandenberg, na Califórina.

Também hoje, militares da Coreia do Sul dizem ter testemunhado o disparo de dois mísseis de curto alcance desde a Coreia do Norte.

O teste com o míssil intercontinental norte-americano faz parte de uma bateria de experiências com este tipo de armas de longo alcance, para verificar a sua aptidão para um possível combate.

A Força Aérea dos EUA faz, normalmente, quatro a cinco testes deste tipo, anualmente.

O teste de mísseis de curto alcance da Coreia do Norte foi o segundo em cinco dias e constitui mais um sinal de que este país estará a retomar o seu programa de armas nucleares.

Segundo o exército da Coreia do Sul, os mísseis do país vizinho terão voado 420 quilómetros, um, e 270 quilómetros, outro.

O Ministério da Defesa do Japão disse que nenhum dos mísseis da Coreia do Norte chegou perto da costa do país.

Ler mais
Recomendadas

China suspende viagens organizadas na China e ao exterior devido ao coronavírus

A partir de segunda-feira as agências de viagens chinesas não poderão mais vender reservas de hotel nem viagens em grupo.

Xi Jiping adverte que “situação é grave” e “propagação do coronavírus acelera-se”

O Presidente chinês, Xi Jiping, admitiu hoje que a China enfrenta uma “situação grave” devido à “propagação acelerada” do novo coronavírus, mas assegurou que o país pode “vencer a batalha” contra o vírus.

Luanda Leaks: Ministra das Finanças de Angola diz que é preciso respeitar os órgãos judiciais

A ministra das Finanças de Angola, Vera Daves, afirmou, em Davos, que é necessário “respeitar o trabalho dos órgãos judiciais” nos casos de alegada corrupção em Angola, lamentando que “apenas alguns” sejam mediáticos.
Comentários