Estados Unidos testam mísseis no mesmo dia da Coreia do Norte

Os EUA testaram esta quinta-feira um míssil intercontinental, no mesmo dia em que a Coreia do Norte terá lançado dois mísseis de curto alcance, admitiram a Força Aérea norte-americana e o exército da Coreia do Sul.

KCNA/via REUTERS

A Força Aérea dos EUA nega que o teste de hoje, o segundo em pouco mais de uma semana, esteja relacionado com a situação na Coreia do Norte ou o momento de tensão com o Irão, país junto do qual os norte-americanos reforçaram esta semana a sua presença militar.

A Força Aérea norte-americana admitiu ter lançado um míssil balístico intercontinental Minuteman 3, desde a base de Vandenberg, na Califórina.

Também hoje, militares da Coreia do Sul dizem ter testemunhado o disparo de dois mísseis de curto alcance desde a Coreia do Norte.

O teste com o míssil intercontinental norte-americano faz parte de uma bateria de experiências com este tipo de armas de longo alcance, para verificar a sua aptidão para um possível combate.

A Força Aérea dos EUA faz, normalmente, quatro a cinco testes deste tipo, anualmente.

O teste de mísseis de curto alcance da Coreia do Norte foi o segundo em cinco dias e constitui mais um sinal de que este país estará a retomar o seu programa de armas nucleares.

Segundo o exército da Coreia do Sul, os mísseis do país vizinho terão voado 420 quilómetros, um, e 270 quilómetros, outro.

O Ministério da Defesa do Japão disse que nenhum dos mísseis da Coreia do Norte chegou perto da costa do país.

Ler mais
Recomendadas

Angela Merkel e Boris Johnson consideram prematuro regresso da Rússia ao G7

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disseram esta quarta-feira em Berlim ser prematuro considerar o regresso da Rússia ao G7, uma ideia avançada pelo Presidente norte-americano, Donald Trump.

Oposição venezuelana anuncia nova fase de mais pressão contra o regime

O presidente do parlamento venezuelano, Juan Guaidó, disse esta quarta-feira que a oposição tem mantido conversações com o governo dos Estados Unidos e anunciou que chegou o momento de pressionar mais o regime liderado por Nicolás Maduro.

António Guterres participa na cimeira do G7 e intervém sobre biodiversidade e oceanos

O secretário-geral das Nações Unidas vai participar na cimeira do G7, seguindo depois para uma conferência sobre o desenvolvimento africano, no Japão, e ficará três dias na República Democrática do Congo para mobilizar apoio contra a epidemia de Ébola.
Comentários