Estoril-Sol com lucros em queda de 16% para 12 milhões

Nos primeiros nove meses de 2019 as receitas de jogo totais do Grupo (jogo físico e online) ascenderam a 171,9 milhões de euros, tendo registado um crescimento global de 2,6%.

O grupo Estoril-Sol reportou um lucro de 12 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, uma quebra de 16,4% face ao mesmo período do ano passado.

Nos primeiros nove meses de 2019 as receitas de jogo totais do Grupo (jogo físico e online) ascenderam a 171,9 milhões de euros, tendo registado um crescimento global de
2,6%.

As receitas geradas pelo jogo físico recuaram 2,6% e ascenderam a 143,1 milhões de Euros. As receitas de jogo físico caíram em todos os casinos do grupo Estoril-Sol, com
especial relevância no Casino do Estoril e no Casino da Póvoa.

As receitas do jogo online cresceram 39,8% impulsionadas pelas apostas desportivas e totalizaram 28,8 milhões.

Deduzindo o Imposto Especial de Jogo, as receitas de jogo totais do grupo traduziram-se em 83 milhões de euros, um crescimento de 3,3% face aos 80,3 milhões de euros alcançados nos primeiros nove meses do ano passado.

“A receita líquida de jogo continua a ser negativamente influenciada pela aplicação da tabela das contrapartidas mínimas anuais no caso concreto do Casino da Póvoa e pela particularidade relacionada com a tributação das apostas desportivas cuja base de incidência do imposto é o valor apostado e não a receita bruta (valor apostado deduzido de prémios pagos) como nas restantes modalidades de jogo, seja ele territorial ou online”, explica a Estoril-Sol nas contas do terceiro trimestre.

Nos primeiros nove meses de 2019 o EBITDA do grupo recuou ligeiramente face a igual período do ano anterior (-1%) e ascendeu a 31,1 milhões de euros. A 30 de setembro de 2019 o Grupo apresentou Resultados Líquidos Consolidados positivos no montante
de 16 milhões de Euros, uma queda de 0,1% face a idêntico período do ano anterior

Já o investimento do grupo – que ascendeu a 1,7 milhões de euros – continuou alinhado com anos anteriores, “embora tenha registado uma ligeira diminuição, sobretudo no Casino do Estoril e Lisboa, cuja concessão de jogo termina em dezembro de 2020”, sublinha o comunicado das contas da empresa liderada por Mário Assis Ferreira.

 

Ler mais
Recomendadas

Covid-19: ‘Chef’ Vítor Sobral vai “acender uma velinha a Nossa Senhora de Fátima” para pagar salários

O Grupo Quina emprega cerca de 120 funcionários. Dois restaurantes foram encerrados, outros dois estão a funcionar em regime de ‘take away’, assim como as padarias. Vítor Sobral garante salários neste mês de março, mas não sabe como será no mês de abril.

Novo Banco vende “Rei dos Cogumelos” em plena crise

O Novo Banco, maior credor do grupo Sousacamp, com 49% dos créditos, acordou a venda do maior produtor ibérico de cogumelos ao Core Capital.

Covid-19: Kaeser garante assistência a equipamentos de ar comprimido de hospitais e da indústria

Além de cerca de três mil empresas do setor industrial, em Portugal a Kaeser trabalha com hospitais como o Grupo Trofa Saúde, Hospital Santo António, Hospital de Braga, Hospital de Santa Maria, Hospital de Gaia, Hospitais de Coimbra, Hospitais Lusíadas e Fundação Champalimaud.
Comentários