Premium“Estratégia contra a corrupção é propositadamente vaga”

A nova presidente da Transparência e Integridade concorda que as alterações no Código dos Contratos Públicos abrem a porta à corrupção e considera que a estratégia do Governo para combater o fenómeno “dificilmente pode ser chamada de estratégia”.

Dias após suceder a João Paulo Batalha à frente da Transparência e Integridade, associação que denuncia casos de corrupção e abuso de dinheiros públicos, a investigadora universitária Susana Coroado agitou as redes sociais ao descrever “inúmeras coisas bizarras” que aconteceram desde que “começou a ser claro que Portugal ia receber uma pipa de massa em fundos europeus”. Em entrevista ao Jornal Económico, também não poupa críticas à Estratégia Nacional de Combate à Corrupção, que está em consulta pública.

Conteúdo reservado a assinantes. Para ler a versão completa, aceda aqui ao JE Leitor

Recomendadas

PremiumHossein Dehghan: O militar que pode vir a ser o próximo presidente do Irão

Não se sabe se será da linha dura ou um moderado – isto partindo-se do princípio, em que alguns não acreditam, que não há moderados no Irão. Seja como for, e num quadro em que a república islâmica está no centro de todas as agendas diplomáticas, o Ocidente ganhará em começar a aprender a dizer o seu nome.

PremiumFuturo da Casa Branca começa a tomar forma e o do mundo também

Apesar das críticas de que há demasiados nomes ligados a Barack Obama e de que falta ‘sangue novo’, a administração Biden arrisca-se a ser a mais diversa de sempre, o que é politicamente muito correto.

PremiumBruxelas recusa deixar cair Estado de direito no acesso à bazuca europeia

Apesar do veto da Hungria e Polónia, respeito pelo Estado de direito vai manter-se como pré-requisito para acesso ao pacote financeiro da UE. Bruxelas acena com recurso ao Tribunal de Justiça Europeu.
Comentários