EUA: Yellen reconhece que taxas de juro poderão ter de subir para evitar sobreaquecimento da economia

A secretária do Tesouro norte-americano voltou a dar razões aos investidores para se preocuparem com uma possível subida das taxas de juro, dada a performance atual da economia, que pode levar a um sobreaquecimento. Na semana passada, o presidente da Reserva Federal havia garantido que a instituição manterá os apoios à economia “o tempo que for necessário”.

Joshua Roberts/Reuters

A secretária do Tesouro norte-americano, Janet Yellen, avisou esta terça-feira que as taxas de juro de referência da maior economia do mundo poderão ter de ser subidas, dado o perigo de um sobreaquecimento causado pela vigorosa recuperação em curso.

“Pode-se dar o caso de as taxas de juro terem de subir um pouco para garantir que a nossa economia não sobreaquece”, afirmou Yellen na tarde de terça-feira, aproveitando um seminário económico promovido pela revista The Atlantic.

“Apesar do acréscimo no consumo ser relativamente pequeno quando comparado com a economia no seu todo, este pode causar um aumento modesto nas taxas de juro”, acrescentou, reiterando que acredita que estes investimentos serão benéficos e farão a economia “crescer mais rápido”.

A questão das taxas de juro norte-americanas tem estado na ordem do dia do outro lado do Atlântico, dada a expectativa dos investidores, perante o cenário de clara e acelerada retoma, de subida destas referências para o sector financeiro. No entanto, ainda na semana passada Jerome Powell, o presidente da Reserva Federal, reforçou que o regulador norte-americano se encontra “comprometido em apoiar a economia o tempo que for necessário”, acalmando temporariamente os mercados.

Ainda assim, o crescimento de 6,4% reportado para o primeiro trimestre não deixa adivinhar uma manutenção da atual política monetária por muito mais tempo, especialmente considerando as previsões de 10,5% de crescimento para o segundo trimestre apresentadas pela Goldman Sachs e citadas pela CNBC.

A contribuir fortemente para este aquecimento da economia encontra-se o pacote de estímulos aprovado em março pelo Congresso, que teve um impacto considerável no aumento de quase 10% das vendas a retalho logo no mesmo mês. Adicionalmente, o presidente quer agora ver aprovado um plano de revitalização da infraestrutura do país, apesar de vários congressistas terem já expressado as suas reservas em relação a este, incluindo o senador democrata Joe Manchin, visto frequentemente como o democrata mais à direita na câmara alta do Capitólio.

Os mercados reagiram de imediato às declarações, com vários sectores a caírem no vermelho, especialmente o tecnológico.

Ler mais

Relacionadas

Nasdaq no pior dia desde março com investidores preocupados com possível subida das taxas de juro

O Dow Jones conseguiu escapar às perdas mesmo no tocar do sino, mas o Nasdaq registou mesmo o pior dia desde março ao perder cerca de 260 pontos perante o receio por parte dos investidores de uma subida das taxas de juro, como sinalizou esta tarde a secretária do Tesouro dos EUA.

Powell reitera ‘Fed’ focada em manter apoio à economia “durante o tempo que demore a recuperação”

O presidente da autoridade financeira norte-americana insistiu nos objetivos de inflação da Reserva Federal, alertando que a muito provável subida do indicador relativo aos preços nos próximos meses é “transitória” e se deverá a um efeito base, não cumprindo por isso os requisitos para uma subida das taxas de juro.

Reserva Federal opta por manter inalterada taxa de juro de referência norte-americana

A instituição liderada por Jerome Powell mantém assim o seu programa de compra de ativos, apesar da expectável subida da inflação decorrente da aceleração da economia norte-americana, que se encontra já numa fase plena de recuperação.
Recomendadas

Fitch mantém notação da dívida portuguesa em ‘BBB’, mas deixa recomendações para a segunda metade do ano

A Fitch havia já em abril deixado alguns avisos à economia nacional, apesar de ter sinalizado que deveria manter a avaliação à dívida soberana nesta avaliação programada perante o potencial para crescimento nos dois últimos trimestres de 2021.

Wall Street fecha semana em alta a corrigir perdas dos últimos dias

Depois de uma semana de fortes perdas, especialmente no Nasdaq e Dow Jones, os três índices norte-americanos encerraram a última sessão da semana no verde, apesar dos dados fracos divulgados durante a manhã relativos às vendas a retalho e à produção industrial de abril.

Portugal regressa aos mercados quarta-feira para colocar 1.500 milhões de euros a seis meses e 1.750 milhões a 12 meses

Este é o segundo de um conjunto de três leilões a realizar entre março e junho com vista a angariar cerca de 4 mil milhões. Na anterior licitação, as taxas médias foram de -0,599% a três meses e -0,558% a 11 meses.
Comentários