Euribor subiram a três e caíram a seis e 12 meses

As taxas Euribor subiram esta segunda-feira a três meses e desceram a seis e 12 meses, respetivamente, em relação a sexta-feira.

As taxas Euribor subiram esta segunda-feira a três meses e desceram a seis e 12 meses, respetivamente, em relação a sexta-feira.

A Euribor a três meses subiu ao ser fixada em -0,318%, mais 0,001 pontos, contra o atual máximo desde julho registado pela primeira vez em 24 de janeiro (-0,306%) e o atual mínimo de sempre, de -0,332%, verificado pela primeira vez em 10 de abril de 2017.

A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação, desceu hoje para -0,258%, menos 0,002 pontos, contra o atual valor máximo desde julho, de -0,227%, registado em 27 de março, e o atual mínimo de sempre, de -0,279%, verificado pela primeira vez em 31 de janeiro de 2018.

No prazo de 12 meses, a taxa Euribor também caiu, para -0,178%, menos 0,003 pontos, contra o atual máximo desde julho, de -0,108%, verificado pela primeira vez em 06 de fevereiro, e o atual mínimo de sempre, de -0,194%, atingido pela primeira vez em 18 de dezembro de 2017.

As taxas Euribor a três, a seis e a 12 meses entraram em terreno negativo em 2015, em 21 de abril, 06 de novembro e 05 de fevereiro, respetivamente.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.

Ler mais
Recomendadas

Oficial: Benfica analisa proposta de 126 milhões por João Félix do Atlético de Madrid

Segundo a SAD benfiquista, o “valor proposto acima da cláusula de rescisão contempla o custo financeiro indexado ao pagamento a prestações previsto nesta proposta”. O jovem avançado do Benfica tem uma cláusula de 120 milhões de euros.

Aprovada entrega da casa aos bancos para saldar dívida no crédito à habitação

“É admitida a dação em cumprimento da dívida, extinguindo as obrigações do devedor independentemente do valor atribuído ao imóvel para esse efeito, desde que tal esteja contratualmente estabelecido, cabendo à instituição de crédito prestar essa informação antes da celebração do contrato”, lê-se na proposta do PS, que consta do projeto para a Lei de Bases da Habitação.

Aprovada entrega da casa aos bancos para saldar dívida no crédito à habitação

A proposta do PS para que seja admitida a entrega da casa às instituições bancárias para extinguir a dívida no crédito à habitação foi hoje aprovada, com o apoio de PSD, PCP e BE e a abstenção de CDS-PP.
Comentários