Eurodeputado do PAN vai integrar comissões de Agricultura, Orçamento e Pescas em Bruxelas

O eurodeputado do PAN, Francisco Guerreiro, afirma que a sua colocação com membro efetivo vai permitir ao partido concretizar metas climáticas “mais audazes” e bater-se pela defesa do ambiente e biodiversidade junto a União Europeia (UE).

O eurodeputado do PAN, Francisco Guerreiro, vai representar o partido e o Grupo dos Verdes/Aliança Livre Europeia na Comissão de Agricultura, de Orçamento e Pescas. Francisco Guerreiro afirma que a sua colocação com membro efetivo vai permitir ao PAN concretizar metas climáticas “mais audazes” e bater-se pela defesa do ambiente e biodiversidade junto a União Europeia (UE).

“Fomos determinados nestas negociações difíceis, o que garantiu ao PAN um papel preponderante em três comissões estruturais para o reforço e desenvolvimento sustentável do projeto Europeu. Ser membro efetivo em Agricultura, no Orçamento e nas Pescas é um feito considerável para quem acaba de se estrear no Parlamento Europeu e na família dos Verdes”, afirmou Francisco Guerreiro.

Na Comissão da Agricultura, o eurodeputado defende que as prioridades do PAN e dos Verdes Europeus passam por “desinvestir na intensificação da produção altamente intensiva”, sobretudo no que toca à agropecuária, “direcionando os fundos comunitários para modos de produção sustentáveis e responsáveis que regenerem os solos e garantam uma melhor gestão dos recursos hídricos”, como é o caso da Agricultura Biológica.

O PAN considera ainda que esta comissão tem um “papel determinante” para que Portugal atinja as metas climáticas com que se comprometeu nos Acordos de Paris. O partido defende ainda melhorias no ordenamento do território que se combaterá as monoculturas florestais, nomeadamente de eucaliptos, com o reflorestamento de espécies autóctones nativas e com a criação de corredores verdes naturais.

O partido quer ainda levar à Comissão de Pescas o fim da pesca intensiva, o combate à expansão da aquicultura industrial, a proibição da mineração em águas profundas e a mitigação do aumento de microplásticos na cadeia alimentar, reduzindo o impacto da poluição na biodiversidade. O reforço da legislação em matéria de proteção animal será também uma prioridade para o PAN.

Francisco Guerreiro vai também propor, junto da Comissão de Orçamento, a canalização de verbas para que seja salvaguardada a transição para uma economia descarbonizada e que garanta a antecipação das metas climáticas de Paris. O PAN quer ainda impostos sobre indústrias poluentes, o fim dos subsídios às indústrias de combustíveis fósseis e o reforço das verbas para o programa Erasmus+.

Ler mais
Recomendadas

Só um terço do novo Governo são mulheres

Radiografia à orgânica do Governo revela entre os 70 elementos do novo governo, 26 são mulheres e 44 são homens. Seriam precisas mais duas mulheres na liderança de ministérios ou secretarias para atingir a meta de 40% de representação.

Jorge Seguro Sanches regressa ao Governo para integrar Ministério da Defesa

Jorge Seguro Sanches volta a integrar o Executivo de António Costa, um ano depois de ter sido afastado. Foi um dos principais rostos responsáveis por cortes nos rendimentos garantidos no setor da energia, no anterior Governo.
antonio_costa_legislativas_altis_2

“Os governos não se medem em função do número de membros”, diz António Costa

O primeiro-ministro indigitado sustentou que a nova orgânica das secretarias de Estado é “ajustada ao programa do Governo”.
Comentários