Eurostat: Emprego em Portugal cresce acima da média europeia

Emprego cresceu 1,5% na zona euro e 1,3% na União Europeia em 2018

Hugo Correia/Reuters

O emprego avançou 1,5% na zona euro e 1,3% na União Europeia (UE) em 2018, o que corresponde a uma desaceleração de 1,6% em ambas as zonas, de acordo com dados do quarto trimestre de 2018 do Eurostat, divulgados esta quinta-feira. Portugal registou níveis acima de ambas as médias (1,7%).

No que respeita apenas ao quarto trimestre de 2018, o emprego subiu 1,3% na zona euro e 1,2% na UE, em termos homólogos, abaixo dos 1,4% e 1,3% registados entre julho e setembro de 2018. No quarto trimestre de 2018, em Portugal, o emprego subiu 1,9% na variação homóloga e 0,5% em cadeia.

A Eslovénia (2,8%), a Irlanda e a Finlândia (2,6% cada) foram os Estados-membros que registaram maior crescimento homólogo no emprego no quatro trimestre de 2018, tendo a Bulgária (-0,8%) conhecido o único recuo.

Na variação em cadeia, o número de pessoas empregadas subiu nos últimos três meses do ano passado 0,3% na zona euro e 0,2% na UE (0,2% em ambas as zonas no terceiro trimestre de 2018), apresentando Portugal uma taxa superior às das duas zonas (0,5%).

[Com Lusa]

 

Ler mais
Recomendadas

Fundação José Berardo: estatutos dizem que fundação tem de cobrir despesas do empresário e família

Os estatutos indicam ainda que “no caso da fundação se extinguir antes da morte do fundador ou do último dos seus descendentes, os bens afetos à fundação pelo fundador, ou dos que estejam no lugar deles, reverterão para o mesmo fundador ou seus descendentes”.

Défice da balança de bens e serviços aumenta nos primeiros três meses do ano

Em comparação com o período homólogo, verifica-se que o défice do saldo acumulado das balanças aumentou, sendo que em 2018 o valor fixou-se nos 78 milhões de euros.

Eletricidade em Portugal entre as mais caras da União Europeia

Portugal paga a sexta eletricidade mais cara entre os estados-membros. É de destacar que as taxas e impostos e outros custos do sistema elétrico pesam 55% na fatura total dos portugueses.
Comentários