Everis tem 10 mil euros para oferecer a empreendedores portugueses

As candidaturas a melhor projeto nacional relacionado com novos modelos de negócio na economia digital, tecnologias industriais, biotecnologia e saúde terminam daqui a 1 mês. Os projetos têm de estar, pelo menos, em fase de prototipagem.

A consultora Everis e a fundação com o mesmo nome abriram as candidaturas para a 18ª edição dos seus prémios nacionais de empreendedorismo, inovação e talento: “Everis Portugal Awards”. A edição portuguesa deste concurso internacional – cujas inscrições terminam no próximo dia 15 de maio – irá galardoar os três melhores projetos de economia digital, tecnologias industriais/biotecnologia e saúde com 10.000 euros e serviços de consultoria.

“Os projetos candidatos devem estar, pelo menos, em fase de prototipagem (segredo ou patente ou produto mínimo viável ou produto ou equivalente), baseados numa inovação tecnológica que melhore a qualidade de vida das pessoas e da sociedade”, refere a organização. O júri – composto por empreendedores, entidades ligadas à academia e ao mundo empresarial – vai avaliar o nível de inovação, o modelo de negócio e a solução apresentada.

Na competição global, o grande premiado irá receber 60.000 euros em dinheiro e serviços em mentoria avaliados em 10.000 euros. Além disso, os vencedores oriundos de 10 países podem participar na «everis talent week», o que lhes vai dar um passaporte de entrada em conferências, seminários e eventos com investidores sobre inovação. Desenganem-se os portugueses que acham que não terão hipóteses de ganhar a nível internacional: nos últimos cinco anos, conquistou duas menções honrosas e dois primeiros lugares, em 2015 e 2016.

“A partilha de conhecimento e a procura de soluções para problemas comuns é fundamental neste tipo de programas. Os projetos portugueses apresentados têm uma enorme qualidade, tal como tem acontecido em anos anteriores, representando Portugal da melhor forma”, defende António Brandão de Vasconcelos, chairman da Everis em Portugal.

As categorias a concurso são as seguintes:

  • Economia digital: projetos baseados em modelos de negócio digitais inovadores que traduzem oportunidades provenientes de novas tecnologias.
  • Tecnologias industriais: projetos baseados em inovação tecnológica aplicados ao desenvolvimento de produtos ou serviços em áreas como turismo, indústria, banca, seguros, telecomunicações, logística, distribuição, energia, infraestruturas ou consumo em geral.
  • Biotecnologia e saúde: projetos baseados na aplicação da biotecnologia e ciências da vida a desenvolvimento de medicamentos, novas terapias ou produção de alimentos. Também são válidos os projetos que incorporam desenvolvimentos tecnológicos na forma de dispositivos médicos ou soluções de “eHealth”.
Recomendadas

Portugueses da Indico investem em empresa alemã de trotinetes

O primeiro fundo privado de investimento em capital de risco português investiu 3,25 milhões na TIER, principal empresa europeia de micro mobilidade.

PremiumCimeira de investidores voltou a Lisboa mas startups querem Silicon Valley

Nuno Fonseca, CEO da Sound Particles, criou a empresa em Leiria, mas, neste momento, 60% dos clientes são da Califórnia. O empresário português considera que as startups devem abrir horizontes e olhar para o “mercado global”.

Câmara de Lisboa pede desculpa por ainda não ter revelado contrato com Web Summit

O contrato com a Web Summit só vai ser revelado depois da autarquia e a organizada da conferência chegarem a acordo sobre as cláusulas a serem expurgadas.
Comentários