Evolução económica. Índice do ISEG aponta para aumento da confiança em março

Os docentes inquiridos apontam para uma evolução da economia ligeiramente mais animadora em março do que aconteceu em fevereiro, verificando-se também um maior consenso entre os membros do painel.

Instituto Superior de Economia e Gestão:

O índice de confiança do ISEG subiu para os 30,3% em março, faz saber a instituição de ensino, o que representa uma ligeira melhoria em relação ao mês anterior. O indicador relacionado com a prestação económica nacional no curto prazo havia-se ficado pelos 28,1% em fevereiro.

Este valor reflete a melhoria ligeira das perspetivas económicas portuguesas perante a saída do confinamento musculado decretado no início do ano, face ao descontrolo da pandemia em território nacional.

Em termos homólogos, a variação do indicador foi de 18,4%, um resultado bem diferente dos -18,3% registados no mês anterior. No entanto, o fenómeno deve-se sobretudo a um efeito base, já que a comparação em março é feita com um período no qual se sentiu uma acentuada quebra económica, quando se deu a chegada do novo coronavírus a Portugal.

Como explica a nota, este índice “pode variar entre 0 (confiança mínima) e 100 (confiança máxima) é atribuído por um painel de dezoito professores do ISEG com base em informação quantitativa e qualitativa previamente recolhida e que inclui os apuramentos de um inquérito realizado mensalmente a todos os docentes do ISEG”, sendo depois o valor final apurado pela média dos valores atribuídos pelos docentes.

O consenso relativamente à evolução da economia também aumentou, com os valores apontados por cada membro do painel a apresentarem uma menor variação do que no mês anterior, lê-se ainda na comunicação.

Recomendadas

Covid-19: Mais de 530 mil pessoas vacinadas na região Centro

João Paulo Rebelo falava no âmbito de uma visita que realizou aos concelhos do Fundão e da Covilhã, no distrito de Castelo Branco, e que também contou com a presença do secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, e da secretária de Estado para a Integração e as Migrações, Cláudia Pereira.

“Governo beneficia casinos mas esquece os trabalhadores”, diz federação intersindical

A Federação intersindical do setor do turismo exige medidas de apoio aos trabalhadores dos casinos, depois do Executivo ter decidido isentar estes estabelecimentos do pagamento do imposto de jogo e prolongado as concessões dos casinos de Lisboa, Estoril e Figueira da Foz, que terminaram a 31 de dezembro de 2020. FESAHT acusa o Governo: “aos patrões do jogo dá tudo, tudo, aos trabalhadores dá nada, nada”.

EUA: Produção industrial sobe pelo segundo mês seguido, apesar de constrangimentos no sector automóvel

A indústria norte-americana beneficiou com a reabertura de várias fábricas dos estados do sul afetados pela tempestade de fevereiro, mas a indústria automóvel penalizou o resultado final, com uma queda de 4,3% na produção a refletir as dificuldades causadas pelos atrasos no fornecimento de chips.
Comentários