Exames nacionais deixam de ser feitos em papel até 2025

Segundo o “Jornal de Notícias”, o PRR define 12 milhões de euros para a mudança gradual da avaliação externa.

É esperado que até 2025 os exames nacionais deixem de ser feitos em papel, sendo esta uma medida do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) enviado para Bruxelas.

Segundo o “Jornal de Notícias” desta quarta-feira, o PRR define 12 milhões de euros para a mudança gradual da avaliação externa. O investimento vai permitir o aumento de forma gradual o número de provas abrangidas até 2025.

O PRR ainda aguarda aprovação, mas prevê-se uma atribuição de 559 milhões de euros para a inovação pedagógica e desenvolvimento de competências digitais. De destacar que este ano os testes dos 3.º, 6.º e 9.º anos para avaliar o impacto do ensino à distância foram realizados em formato digital.

Recomendadas

Startup aposta na segunda vida das calculadoras. Famílias podem adquirir material por metade do preço

“Faz todo o sentido olharmos para este material como uma oportunidade de reutilização, estendendo o seu tempo de vida útil para o qual são realmente produzidas”, explicou Ricardo Morgado ao JE, abordando a segunda vida que as calculadoras podem nas mãos de outros estudantes.

Instituições de ensino e formação procuram combinação virtuosa entre presencial e online

Na mesa redonda do JE sobre Os Desafios da Formação em Portugal, esta sexta-feira, Manuel Fontaine, diretor da Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica, e Jorge Conde, presidente do Politécnico de Coimbra, revelam como estão a preparar o próximo ano letivo. Jorge Lopes, diretor da Rumos Formação, diz ter a expectativa de que as empresas portuguesas voltem a investir em formação e a Rumos está preparada para responder.

Da sala de aula para o ensino a distância: três exemplos de adaptação em tempo recorde

Jorge Conde, presidente do Politécnico de Coimbra, Jorge Lopes, Diretor da Rumos Formação, e Manuel Fontaine, Diretor da Escola do Porto da Faculdade de Direito da Universidade Católica, contam como as suas instituições enfrentaram e venceram a pandemia da Covid-19. Foi esta sexta-feira, 30 de julho, na mesa redonda Os Desafios da Formação em Portugal, promovida pelo Jornal Económico.
Comentários