Exclusivo: Álvaro Sobrinho diz que Bruno de Carvalho “não merece confiança e deve apresentar a demissão”

Segundo maior accionista da Sporting SAD diz que direcção liderada por Bruno de Carvalho “não merece a confiança e deve apresentar a demissão”. Sobrinho considera que Bruno de Carvalho “está a pôr em risco os ativos da empresa e isto não pode acontecer”. E deixa uma palavra de conforto para os jogadores e equipa técnica. “Têm todo o apoio” da Holdimo, afirmou Álvaro Sobrinho ao JE.

Álvaro Sobrinho

“A direção da Sporting SAD não merece a confiança do segundo maior accionista e deve apresentar a demissão”, defende Álvaro Sobrinho, o empresário angolano que detém cerca de 30% da SAD através da Holdimo. O empresário deixa ainda uma palavra de conforto para jogadores e equipa técnica: ”têm todo o apoio do segundo maior accionista da SAD”. Sobre a crise no Sporting agravada com  acontecimentos dos últimos, considera que “é lamentável tudo o que está a acontecer e é mau para os ativos”. E em jeito de recado a Bruno de Carvalho sublinha que “as empresas têm de ser geridas profissionalmente e não por emoção”.

“A Holdimo já não tem confiança na direcção e nos orgãos sociais da Sporting SAD”, revelou Álvaro Sobrinho ao Jornal Económico, considerando que a direção liderada por Bruno de Carvalho “está a pôr em risco os activos da empresa e isto não pode acontecer”. Para o empresário, os acontecimentos que têm envolvido Bruno de Carvalho, desde o episódio dos posts no facebook após o jogo com o Atlético Madrid até aos incidentes em Alcochete, “têm causado imensos problemas e danos reputacionais”. Álvaro Sobrinho diz ainda que “era estúpido um accionista gostar desta situação”.

Segundo Álvaro Sobrinho, “a Holdimo é accionista e regista os factos que têm ocorrido”, os quais, diz, “põem em risco os activos da SAD, que é uma empresa cotada em bolsa”.

O empresário avança que “a Holdimo está imensamente preocupada”, mas garante que a empresa “vai fazer absolutamente tudo para preservar os seus principais activos que são os jogadores”, considerando que “é preciso manter a estabilidade dos jogadores”. E assegura que “enquanto segundo maior accionista da Sporting SAD mantém a confiança nos jogadores e na equipa técnica, nomeadamente no seu treinador”.

Segundo o empresário, a Holdimo “tudo fará para manter a estabilidade da SAD”, admitindo que “há um problema na gestão da SAD, nos orgãos da direção, no presidente e nos seus membros executivos”.

Álvaro Sobrinho realça aqui que a “SAD é uma empresa cotada” e que a empresa que detém 29,85% da Sporting SAD “não tem confiança na sua direção e no seu presidente”. E deixa um aviso à direção liderada por Bruno de Carvalho: “Iremos tomar todas as medidas legais para garantir a estabilidade da gestão da SAD”.  Questionado sobre o tipo de medidas, Álvaro Sobrinho esclarece que, caso o presidente do Sporting não se demita, avançará com uma Assembleia Geral da Sporting SAD .

“Vamos ver o desenvolvimento dos acontecimentos. Queremos mais estabilidade em vésperas da final da Taça”, remata. Álvaro Sobrinho dá ainda conta do que fará caso o presidente do Sporting não se demita: “iremos tomar a devido tempo uma posição, convocando uma assembleia geral e pedir a demissão da direção”.

Ações caem 17,11%

Após ter perdido mais de dois milhões de euros em capitalização bolsista devido a uma desvalorização de quase 8% dos títulos, na primeira metade da sessão da bolsa nacional, a cotação da Sporting SAD desvalorizava 17,11%, para 0,63 euros, pelas 15h30.

Os receios de eventuais perdas da SAD com um cenário de demissão de dirigentes dos órgãos sociais, com um alegado esquema de corrupção desportiva a ser investigado e a instabilidade nas relações entre o atual presidente do clube e da SAD, Bruno de Carvalho, com a equipa de futebol e equipa técnica, fazem o valor do capital market ‘leonino’ recuar para 24 milhões.

Entre a última sessão e a atual, a Sporting SAD descapitalizou quase seis milhões de euros. Nesta quinta-feira, 17 de maio, as acções do Sporting afundaram mais de 17% para 63 cêntimos, diminuindo a capitalização bolsista da SAD para 46,9 milhões de euros.

Na estrutura acionista da Sporting SAD, o Sporting Clube de Portugal detém 26,66% do capital, a Sporting SGPS detém 37,36%, seguindo-se a Holdimo – Participações e Investimentos com 29,85%, a Oliverdesportos SGPS com 3,19% e o capital disperso soma 3,04%.

 

 

 

Ler mais

Relacionadas

Crise no Sporting: e se houver eleições antecipadas? Saiba o que dizem os estatutos

Com a saída iminente de Bruno de Carvalho da direção do clube, a existência de novas eleições torna-se inevitável e para isso é necessário saber o que dizem os estatutos.

Crise no Sporting: quatro elementos do conselho diretivo já se demitiram

O conselho diretivo do Sporting Clube de Portugal está reunido em Alvalade. Em causa poderá estar a demissão de todos os elementos da direção. A “SIC Notícias” avança que quatro membros do conselho diretivo já apresentaram a demissão.

Sporting afunda mais de 17% em bolsa, com títulos a valerem 0,63 euros

Entre o fecho da sessão de quarta-feira e a atual, a Sporting SAD descapitalizou cinco milhões de euros.

PremiumCrise no Sporting: órgãos sociais anteciparam demissões que iriam ocorrer após final da Taça

Demissões no Conselho Fiscal e Assembleia Geral já estavam planeadas ainda antes dos incidentes em Alcochete, segundo fonte próxima ao processo. Com o agravamento da crise no Sporting CP, decisão ia ser anunciada depois da final da Taça de Portugal mas acabou por ser antecipada.

Crise no Sporting: processo disciplinar instaurado a Bruno de Carvalho

Medida foi instaurada esta manhã contra o presidente do clube de Alvalade. Decisão surgiu momentos antes dos próprios membros da Assembleia Geral se demitirem em bloco.

Demissões e perdas de milhões: o que já aconteceu hoje no Sporting CP?

Tem sido uma quinta-feira agitada em Alvalade. Desde as demissões da Mesa da Assembleia Geral, aos milhões perdidos em bolsa, culminando no processo disciplinar a Bruno de Carvalho.
Recomendadas

Douro inicia vindimas e estima quebra de produção de 20%

A empresa Gran Cruz foi uma das primeiras a arrancar com o corte das uvas no Douro, cerca de uma semana mais cedo do que no ano passado por causa das condições climatéricas, como o calor intenso que poderá tornar este verão num dos mais quentes de que há registo.
marcelo_rebelo_sousa_legislativas

Presidente diz que atividade turística no Algarve está melhor e há hotéis a 70%

“Na situação atual, ainda mais do que há uma semana ou duas ou três, ninguém percebe porque é que o corredor aéreo britânico não abre. Quer dizer, se não abre agora, quando é que abre”, questionou o Presidente da República

Covid-19: Ministério da Agricultura antecipa 112 milhões de euros do Pagamento Único

Será igualmente feito um pagamento de 31 milhões de euros na medida de apoio à Produção Integrada e de 11 milhões de euros na medida de apoio à Agricultura Biológica, desde que reunidas as condições regulamentares relativas ao controlo prévio ao pagamento.
Comentários