Exclusivo: Álvaro Sobrinho diz que Bruno de Carvalho “não merece confiança e deve apresentar a demissão”

Segundo maior accionista da Sporting SAD diz que direcção liderada por Bruno de Carvalho “não merece a confiança e deve apresentar a demissão”. Sobrinho considera que Bruno de Carvalho “está a pôr em risco os ativos da empresa e isto não pode acontecer”. E deixa uma palavra de conforto para os jogadores e equipa técnica. “Têm todo o apoio” da Holdimo, afirmou Álvaro Sobrinho ao JE.

Álvaro Sobrinho
Ler mais

“A direção da Sporting SAD não merece a confiança do segundo maior accionista e deve apresentar a demissão”, defende Álvaro Sobrinho, o empresário angolano que detém cerca de 30% da SAD através da Holdimo. O empresário deixa ainda uma palavra de conforto para jogadores e equipa técnica: ”têm todo o apoio do segundo maior accionista da SAD”. Sobre a crise no Sporting agravada com  acontecimentos dos últimos, considera que “é lamentável tudo o que está a acontecer e é mau para os ativos”. E em jeito de recado a Bruno de Carvalho sublinha que “as empresas têm de ser geridas profissionalmente e não por emoção”.

“A Holdimo já não tem confiança na direcção e nos orgãos sociais da Sporting SAD”, revelou Álvaro Sobrinho ao Jornal Económico, considerando que a direção liderada por Bruno de Carvalho “está a pôr em risco os activos da empresa e isto não pode acontecer”. Para o empresário, os acontecimentos que têm envolvido Bruno de Carvalho, desde o episódio dos posts no facebook após o jogo com o Atlético Madrid até aos incidentes em Alcochete, “têm causado imensos problemas e danos reputacionais”. Álvaro Sobrinho diz ainda que “era estúpido um accionista gostar desta situação”.

Segundo Álvaro Sobrinho, “a Holdimo é accionista e regista os factos que têm ocorrido”, os quais, diz, “põem em risco os activos da SAD, que é uma empresa cotada em bolsa”.

O empresário avança que “a Holdimo está imensamente preocupada”, mas garante que a empresa “vai fazer absolutamente tudo para preservar os seus principais activos que são os jogadores”, considerando que “é preciso manter a estabilidade dos jogadores”. E assegura que “enquanto segundo maior accionista da Sporting SAD mantém a confiança nos jogadores e na equipa técnica, nomeadamente no seu treinador”.

Segundo o empresário, a Holdimo “tudo fará para manter a estabilidade da SAD”, admitindo que “há um problema na gestão da SAD, nos orgãos da direção, no presidente e nos seus membros executivos”.

Álvaro Sobrinho realça aqui que a “SAD é uma empresa cotada” e que a empresa que detém 29,85% da Sporting SAD “não tem confiança na sua direção e no seu presidente”. E deixa um aviso à direção liderada por Bruno de Carvalho: “Iremos tomar todas as medidas legais para garantir a estabilidade da gestão da SAD”.  Questionado sobre o tipo de medidas, Álvaro Sobrinho esclarece que, caso o presidente do Sporting não se demita, avançará com uma Assembleia Geral da Sporting SAD .

“Vamos ver o desenvolvimento dos acontecimentos. Queremos mais estabilidade em vésperas da final da Taça”, remata. Álvaro Sobrinho dá ainda conta do que fará caso o presidente do Sporting não se demita: “iremos tomar a devido tempo uma posição, convocando uma assembleia geral e pedir a demissão da direção”.

Ações caem 17,11%

Após ter perdido mais de dois milhões de euros em capitalização bolsista devido a uma desvalorização de quase 8% dos títulos, na primeira metade da sessão da bolsa nacional, a cotação da Sporting SAD desvalorizava 17,11%, para 0,63 euros, pelas 15h30.

Os receios de eventuais perdas da SAD com um cenário de demissão de dirigentes dos órgãos sociais, com um alegado esquema de corrupção desportiva a ser investigado e a instabilidade nas relações entre o atual presidente do clube e da SAD, Bruno de Carvalho, com a equipa de futebol e equipa técnica, fazem o valor do capital market ‘leonino’ recuar para 24 milhões.

Entre a última sessão e a atual, a Sporting SAD descapitalizou quase seis milhões de euros. Nesta quinta-feira, 17 de maio, as acções do Sporting afundaram mais de 17% para 63 cêntimos, diminuindo a capitalização bolsista da SAD para 46,9 milhões de euros.

Na estrutura acionista da Sporting SAD, o Sporting Clube de Portugal detém 26,66% do capital, a Sporting SGPS detém 37,36%, seguindo-se a Holdimo – Participações e Investimentos com 29,85%, a Oliverdesportos SGPS com 3,19% e o capital disperso soma 3,04%.

 

 

 

Relacionadas

Crise no Sporting: e se houver eleições antecipadas? Saiba o que dizem os estatutos

Com a saída iminente de Bruno de Carvalho da direção do clube, a existência de novas eleições torna-se inevitável e para isso é necessário saber o que dizem os estatutos.

Crise no Sporting: quatro elementos do conselho diretivo já se demitiram

O conselho diretivo do Sporting Clube de Portugal está reunido em Alvalade. Em causa poderá estar a demissão de todos os elementos da direção. A “SIC Notícias” avança que quatro membros do conselho diretivo já apresentaram a demissão.

Sporting afunda mais de 17% em bolsa, com títulos a valerem 0,63 euros

Entre o fecho da sessão de quarta-feira e a atual, a Sporting SAD descapitalizou cinco milhões de euros.

Crise no Sporting: órgãos sociais anteciparam demissões que iriam ocorrer após final da Taça

Demissões no Conselho Fiscal e Assembleia Geral já estavam planeadas ainda antes dos incidentes em Alcochete, segundo fonte próxima ao processo. Com o agravamento da crise no Sporting CP, decisão ia ser anunciada depois da final da Taça de Portugal mas acabou por ser antecipada.

Crise no Sporting: processo disciplinar instaurado a Bruno de Carvalho

Medida foi instaurada esta manhã contra o presidente do clube de Alvalade. Decisão surgiu momentos antes dos próprios membros da Assembleia Geral se demitirem em bloco.

Demissões e perdas de milhões: o que já aconteceu hoje no Sporting CP?

Tem sido uma quinta-feira agitada em Alvalade. Desde as demissões da Mesa da Assembleia Geral, aos milhões perdidos em bolsa, culminando no processo disciplinar a Bruno de Carvalho.
Recomendadas

Já não há dúvidas. INE confirma pela segunda vez que CGD entra no défice de 2017

A confirmação foi dada pelo Instituto Nacional de Estatísticas (INE), que enviou esta sexta-feira para o Eurostat a segunda notificação anual no âmbito dos Procedimento dos Défices Excessivos (PDE).

Como ajudar o seu filho a ser bem sucedido na escola

À semelhança de um maravilhoso quadro multicolor abstrato, o regresso às aulas tende a despoletar junto dos mais novos por um lado, entusiasmo, alegria e motivação e por outro uma certa angústia e ansiedade perante os desafios que aí se avizinham. Ao mesmo tempo, na paleta de cores sobressaem as preocupações dos pais perante esta etapa inerente ao desenvolvimento dos seus filhos.

UGT aprova reivindicações para 2019, com aumentos entre os 3 e os 4%

O documento reivindicativo da UGT vai ser aprovado pelo Secretariado Nacional da central, na sua primeira reunião após as férias, e tem como objetivo definir a ação da central e dos seus sindicatos para o próximo ano, assim como as medidas que considera prioritárias em termos de OE.
Comentários