Exigentes mas satisfeitos. Assim é a relação dos portugueses com os transportes ferroviários

Inquérito sobre o nível de satisfação dos cidadãos europeus com os serviços de transportes ferroviários envolveu 25.537 inquiridos. Portugueses entre os mais satisfeitos com este meio a nível europeu.

Foto cedida

Apesar das polémicas recentes sobre as falhas, atrasos e supressões de comboios da CP, os portugueses inquiridos no âmbito de um estudo elaborado pela Comissão Europeia, são dos utentes mais satisfeitos com os transportes ferroviários no espaço da União Europeia.

De acordo com este estudo, hoje divulgado, cujo trabalho de campo decorreu entre janeiro e fevereiro deste ano, Portugal está em terceiro lugar no índice de satisfação com os transportes ferroviários, com uma média de 28,2, logo a seguir à Áustria (29,6) e Irlanda (29,5).

Os portugueses também mostraram ser a terceira nacionalidade da União Europeia mais satisfeita com as viagens de comboio (média de 13), logo a seguir à Áustria (13,8) e Irlanda (13,5).

Portugal, a par de Espanha, França, Luxemburgo e Polónia, é também dos países em que os inquiridos por este estudo estão mais satisfeitos com a disponibilidade dos bilhetes para uma viagem utilizando diversos modos de transporte.

O inquérito sobre o nível de satisfação dos cidadãos europeus com os serviços de transportes ferroviários envolveu 25.537 inquiridos.

Os inquiridos portugueses também demonstraram ser muito exigentes. No que respeita à disponibilização de informação sobre horários e plataformas, Portugal, a par de Espanha, Luxemburgo, Reino Unido, Bélgica e Suécia, é dos países em que este tópico é considerado mais importante.

Os portugueses são a nacionalidade que mais relevante considera ser a existência de parques de estacionamento para automóveis e bicicletas nas estações ferroviárias (95% dos inquiridos Vs. 3% que dizem não ser importante).

A limpeza e a boa manutenção das estações ferroviárias é avaliada como uma questão relevante para 97% dos inquiridos portugueses, que apenas foram superados nesta questão pela Espanha e Itália (ambas com 98% de respostas nesse sentido).

A disponibilidade de bilhetes para uma viagem usando diversos modos de transporte, é considerado relevante por 90% dos inquiridos portugueses (Vs. 5% de opinião contrária, mais 85 pp), sendo apenas superados pela Grécia.

Na questão da facilidade na compra de bilhetes, Portugal (96% Vs. 2%, mais 94 pp) surge logo a seguir à Itália (97% Vs. 2%, mais 95 pp) como considerado esse tema importante

No tópico sobre distribuição de informação de qualidade nos serviços de conexão com outros modos de transporte, os 92% dos portugueses inquiridos entendem que essa questão é importante, sendo mais uma vez apenas superados pela Itália (93%).

Um resultado semelhante ocorreu na questão sobre a distribuição de informação de qualidade sobre horários e plataforma, em que 96% dos portugueses inquiridos entender ser esta uma questão relevante (Vs. 2%, mais 94 pp), apenas ultrapassados por França e Itália.

Este estudo efetuado pela Comissão Europeia através da Direção-Geral da Mobilidade e Transportes, em coordenação com a Direção-Geral de Comunicação, detetou apenas uma área em que os portugueses são dos cidadãos menos satisfeitos com o serviço de transportes ferroviários: trata-se do capítulo da acessibilidade ao processo de reservas, em que os inquiridos da Bulgária (31%), Roménia (29%) e Portugal (26%) são os que se mostraram mais insatisfeitos.

Em 10 países, a maioria dos inquiridos está satisfeita com este tópico, sendo os mais satisfeitos os inquiridos do Luxemburgo (67%), Irlanda (64%) e Bélgica (63%).

Os portugueses são a segunda nacionalidade que mais diz ir de carro, táxi ou moto para as estações ferroviárias (58%), logo a seguir à Irlanda.

Os portugueses são também dos cidadãos que menos usam a ferrovia para fazer viagens internacionais (87%), a seguir à Lituânia (92%), Grécia, Bulgária e Itália (todos com 89%) e à Estónia (88%).

Ler mais
Recomendadas

Centeno diz que CGD deve “remunerar” Estado porque dinheiro “é dos portugueses”

Quanto ao pagamento de dividendos no Banco de Portugal, o ministro das Finanças destacou que é “uma das parcelas mais significativas” da verba.

Santander conclui integração dos clientes do antigo Banco Popular

A operação envolveu mais de mil pessoas e permitiu a integração de toda a atividade relacionada com os clientes vindos do extinto Banco Popular.

Moody’s sobe ‘rating’ da Brisa

O novo outlook está relacionado com o rating do país, que se reflete diretamente no desempenho da concessionária em termos de notações.
Comentários