F1 em Portugal: Região de Turismo do Algarve defende que região é um palco aberto e seguro

A Região de Turismo do Algarve destacou esta sexta-feira o esforço das várias entidades para trazerem a Fórmula 1 (F1) de novo a Portugal, numa prova que pode ser um palco para mostrar que o destino está aberto e é seguro.

“Valeu a pena o esforço do Autódromo do Algarve, do Turismo do Algarve, do Turismo de Portugal e da Câmara [Municipal] de Portimão para trazer esta grande prova que é um palco para mostrar que o destino está aberto e que é seguro”, afirmou à Lusa o presidente da Região de Turismo do Algarve.

Em relação à possibilidade de haver assistência nas bancadas, João Fernandes revelou que “seria uma ótima notícia para o Algarve”, mas é prudente, realçando o “anúncio do plano de desconfinamento” por parte do Governo, em 11 de março e o facto de o evento “decorrer em 2 de maio”.

Assumiu ainda que há que “aguardar as diretrizes” da Direção Geral de Saúde (DGS), sendo necessário, até lá, “avaliar as condições” para que possa “haver público”.

Para o dirigente, a realização da prova é, à semelhança do ano anterior, “por si só” um palco “importantíssimo para divulgar o Algarve” e, sobretudo, numa altura em que acredita que a região estará “em condições para receber mercado externos”, evidenciando que a F1 chega “a mais de 428 milhões de lares”.

Como balanço do Grande Prémio de Portugal F1 de 2020, João Fernandes destacou um relatório da saúde que indicou a não existência de “surtos [de covi-19] a partir da edição do ano passado” e a notícia que apontou a edição algarvia como “a segunda mais vista do campeonato do ano passado e a mais vista da Europa”.

Foi hoje anunciado pela organização do campeonato que o Grande Prémio de Portugal vai voltar a integrar o Mundial de Fórmula 1, em 02 de maio, pela 18.ª vez, a segunda consecutiva no Algarve.

A Fórmula 1 regressou a Portugal em 2020, ao Autódromo Internacional do Algarve, após 24 anos de ausência do Mundial, na sequência da reorganização dos calendários devido à pandemia de covid-19.

O calendário de 2021 prevê um recorde de 23 provas, entre 23 de março, no Bahrain, e 12 de dezembro, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos.

Ler mais
Relacionadas

Oficial: Fórmula 1 regressa a Portimão a 2 de maio (com áudio)

A informação foi confirmada pela Federação Internacional Automóvel (FIA), sendo para já uma incógnita se voltará a existir público nas bancadas à semelhança do que aconteceu em 2020.
Recomendadas

SuperLiga Europeia: o que resta do terremoto que agitou o futebol europeu? Hoje há “Jogo Económico” com Miguel Poiares Maduro

Acompanhe o programa “Jogo Económico” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.

Paragem da Liga portuguesa a 10 jornadas do fim com impacto significativo nas SADs na época passada, estima EY

De acordo com a análise de Miguel Farinha, partner e líder de Strategy and Transactions da EY, que consta da quarta edição do Anuário do Futebol Profissional Português, produzido pela EY, numa parceria com a Liga Portugal, este valor “fica aquém da real dimensão da indústria, uma vez que não contempla impactos indiretos e induzidos”.

Diminuição de receitas no futebol português reduziu contribuição para o PIB na época passada para 494 milhões (com áudio)

Em comparação com a temporada de 2018/19, e de acordo com o anuário da Liga, a época passada trouxe uma quebra de 55 milhões de euros na contribuição do PIB, com a seguinte distribuição pelas três Ligas consideradas: Liga NOS (480 milhões); Liga Pro (9 milhões) e Liga Portugal (5 milhões).
Comentários