Facebook aumenta lucro no terceiro trimestre impulsionado pela publicidade

A rede social também revela que conseguiu diminuir para metade as despesas relacionadas com “geral e administração”, em grande parte devido ao encerramento de escritórios um pouco por todo o mundo, acompanhando a tendência do teletrabalho.

Os resultados do Facebook para o terceiro trimestre de 2020 revelaram um crescimento do lucro, para os 17,9 mil milhões de dólares (15,3 mil milhões de euros), mais 61% do que os 11,1 mil milhões de dólares (9,5 mil milhões de euros) registados no período homólogo de 2019, segundo o “Expansión”.

O Facebook aponta a publicidade como o principal fator para o aumento dos lucros, depois da pandemia de Covid-19 ter obrigado várias empresas a reforçar a presença nas plataformas digitais, aumentando assim a publicidade que é feita na plataforma. Por sua vez, os acionistas do Facebook receberam 6,29 dólares (5,3 euros) por ação até, mais do que o dobro em comparação aos 3,90 dólares (3,3 euros) registados em outubro de 2019.

A rede social também revela que conseguiu diminuir para metade as despesas relacionadas com “geral e administração”, em grande parte devido ao encerramento de escritórios um pouco por todo o mundo, acompanhando a tendência do teletrabalho. O Facebook anunciou, inclusivamente, que não pretende que os funcionários regressem fisicamente ao trabalho até julho de 2021.

O número de utilizadores ativos, diários (1.820 milhões) e mensais (2.740 milhões), também cresceu, registando mais 12% face ao período homólogo do ano passado.

Ainda assim, os resultados positivos do Facebook não foram suficientes para animar Wall Street. As ações da empresa caíram 0,26%, para os 280,55 dólares (240 euros) por ação após o encerramento das bolsas de Nova Iorque.

Recomendadas

Que caminho para o hidrogénio? Shell e Schneider debateram futuro da energia na Web Summit

Ambas as empresas acreditam em apresentar aos seus clientes o maior número de opções quanto à energia que podem utilizar. No entanto, para a Schneider, o hidrogénio não tem valor económico e o futuro “será mais elétrico e a eletricidade será produzida e consumida de forma descarbonizada e descentralizada”.

CIO da Johnson & Johnson: “Ecossistema tecnológico ajudou a repensar a ciência”

As novas tecnologias aceleraram a maneira como se descobrem e produzem novos medicamentos. Combinar todos os dados disponiveis, aliá-los à ciência e colocá-los em prático são os desafios apontados ao setor farmcêutico durante os próximos anos.

AHRESP afirma que Governo “comprometeu-se a anunciar medidas” em função das propostas efetuadas

Do lado do Governo, a associação sublinha que o ministro da Economia “comprometeu-se a anunciar publicamente muito em breve, com a presença dos parceiros sociais, as medidas que o governo vier a decidir em função das propostas apresentadas pelas associações presentes nesta reunião”.
Comentários