“Falar Direito”. “Investimento estrangeiro? Lisboa e Porto estão na pole position”

“Lisboa e Portugal no geral têm-se vindo a colocar numa pole position em termos de investimento estrangeiro nomeadamente ao nível dos Vistos Gold. O Porto também tem vindo a ganhar muito com esta política”, realçou a advogada da CRS, Raquel Galinha Roque.

Lisboa e Porto estão na pole position ao nível do investimento estrangeiro, de acordo com a opinião formulada pelos advogados Raquel Galinha Roque e João de Moraes Vaz na última edição do programa “Falar Direito”, da plataforma multimédia JE TV.

“Lisboa e Portugal no geral têm-se vindo a colocar numa pole position em termos de investimento estrangeiro nomeadamente ao nível dos Vistos Gold. O Porto também tem vindo a ganhar muito com esta política”, realçou a advogada da CRS.

Os advogados Raquel Galinha Roque (CRS) e João de Moraes Vaz (Antas da Cunha Ecija & Associados) consideram que as alterações ao programa de Autorização de Residência para Atividade de Investimento foram um “erro político”.

Relacionadas

Regime dos vistos gold vai mudar em janeiro de 2022. Quais as implicações para os investidores? Veja o “Falar Direito”

Acompanhe o “Falar Direito” na plataforma multimédia JE TV, através do site e das redes sociais do Jornal Económico.
Recomendadas

Nova legislação europeia da inteligência artificial “tem um efeito comparável ao RGPD”

A Comissão Europeia apresentou uma proposta de regulamento para os sistemas de inteligência artificial com base em quatro níveis de risco: inaceitável, elevado, limitado e mínimo.

Clarke Modet assessora propriedade industrial de startup da Trofa eleita a melhor do mundo

A Magnevane, distinguida internacionalmente pela Unicorn Battle Cup Finals, encarregou o grupo ibérico dos registos da avaliação económica de patentes e da marca.

Fusões e aquisições de empresas em Portugal movimentaram mais de 3 mil milhões até maio

Apesar de em 60% das transações os valores não terem sido revelados, os números representam uma diminuição de 10% no total de transações e uma queda de 53% no capital mobilizado.
Comentários