Aeroporto: Falta de meios do SEF provoca “entre duas a três horas” de filas de espera

Turistas reagem mal à situação e presidente do Sindicato da Carreira de Inspeção e Fiscalização do SEF, Acácio Pereira, reforça necessidade de encontrar uma solução urgentemente.

A falta de meios do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) no aeroporto de Lisboa tem-se feito notar intensamente, levando a filas de espera por períodos de duas e três horas, de acordo com testemunhos ouvidos pelo Diário de Notícias (DN). Apesar da direção do SEF afirma tratar-se de casos pontuais, trabalhadores no aeroporto referem que número de funcionários é insuficiente face ao aumento significativo de passageiros estrangeiros. “A situação está muito pior”, admite Acácio Pereira, presidente do Sindicato da Carreira de Inspeção e Fiscalização do SEF.

Em declarações ao DN, Acácio Pereira disse que “o balanço está longe de ser positivo” relativamente aos fluxos turísticos. A Confederação do Turismo Português (CTP) foi informada do recrutamento de novos funcionários, “mas a medida não está a produzir resultados satisfatórios”, avançou, relembrando a necessidade de “ter em conta que o fluxo de chegadas fora do Espaço Schengen está a aumentar – estamos na época alta e o mercado dos EUA está a crescer – e a tendência é para incrementar os movimentos com as novas rotas para a China”.

Para o responsável, a prioridade passa por “encontrar uma solução urgente”, visto que as reações dos turistas não têm sido positivas. “Ninguém gosta de, depois de uma viagem longa e cansativa, ficar retido no aeroporto durante duas horas”, sustentou, referindo não ser a experiência turística ideal para os que vêm visitar o país.

Para reforçar o aeroporto e outras áreas do género da investigação criminal, é preciso admitir urgentemente 200 novos inspetores, referiu. Enquanto não se encontra a solução permanente, o SEF destacou 45 estagiários sem curso concluído para o aeroporto, ao que o sindicato assegura que “a sua presença pouco adianta pois não têm ainda competências atribuídas”. Atualmente, em terreno estão “230 elementos a efetuar o controlo da fronteira” no aeroporto, aponta a direção do SEF, incluindo os estagiários na contagem.

Constança Urbano de Sousa definiu, em janeiro deste ano, os “Objetivos Estratégicos do ministério da Administração Interna 2017/2019” que visa, entre vários pontos, “fixar em menos de 40 minutos o tempo máximo de espera de processamento no controlo de fronteiras”.

“O SEF tem vindo a corresponder ao aumento do tráfego aéreo e do fluxo de passageiros verificado, cumprindo a missão que lhe está confiada enquanto serviço de segurança”, relata a direção do SEF, acrescentando que já pediu um concurso para 200 novos inspetores, que aguarda autorização das Finanças.

Ler mais
Recomendadas

Banco de Portugal vai sujeitar diretores do risco, compliance e auditoria ao ‘Fit & Proper’

Está em consulta pública até ao final de março um projeto de alteração de Aviso do Banco de Portugal que vai rever os requisitos aplicáveis em matéria de governo interno dos bancos. Entre as principais novidades introduzidas pelo regulador, destaca-se o alargamento do processo de avaliação e adequação diretores do risco, de compliance e de auditoria interna, e um relatório anual de autoavaliação dos bancos sobre o cumprimento das regras de controlo interno.

Coca-Cola Portugal nomeia primeira diretora-geral de nacionalidade portuguesa

Sandra Vera-Cruz junta-se a Rui Serpa que, em 2018, assumiu funções de diretor-geral na Coca-Cola European Partners, como os únicos portugueses com funções de chefia numa das maiores empresas ligadas ao setor das bebidas a nível mundial.

Telefónica aposta mais de três mil milhões na La Liga até 2022

Números assegurados pela Telefónica têm por base o potencial que os conteúdos exclusivos da La Liga Santander e La Liga SmartBank que poderão proporcionar outros ganhos no que respeita à retransmissão dos jogos.
Comentários