Família Miranda vende Frulact ao fundo de investimento francês Ardian

Ardian considera que é a melhor parceira para identificar e promover oportunidades de crescimento que permitam transformar a Frulact num líder global no setor das frutas.

A Ardian, que reclama ser uma das principais sociedades de investimento a nível mundial, anunciou hoje, dia 15 de janeiro, a aquisição da Frulact à família Miranda, com apoio da atual equipa de gestão.

Não foi revelado o valor da transação.

“A Frulact é uma fabricante inovadora de ingredientes naturais criados a partir de frutas e plantas para a indústria alimentar e de bebidas. A empresa conta com um vasto portefólio de produtos baseados em preparados de fruta e vegetais para laticínios, gelados, sobremesas, bebidas, aromatizantes e ingredientes alternativos à base de plantas”, refere um comunicado do referido fundo de investimento.

A Frulact tem sede na Maia, nas imediações do Porto, e emprega mais de 750 trabalhadores, operando em nove unidades industriais na Europa, África e América do Norte e vendendo os seus produtos em mais de 40 países. A empresa regista um volume de negócios perto dos 115 milhões de euros.

“A empresa, fundada em 1987 pela família Miranda e liderada por João Miranda, tem um histórico robusto de crescimento baseado em evolução orgânica e aquisições criteriosas. A Ardian irá apoiar a equipa de gestão da Frulact para acelerar o plano estratégico e consolidar a posição do grupo como um dos líderes globais na indústria alimentar, apoiando as atividades já em curso e fortalecendo as competências da Frulact em nichos e ingredientes adjacentes ao negócio. O conhecimento profundo da Ardian sobre a indústria de ingredientes alimentares, a sua rede global e o apoio que pode oferecer enquanto uma das principais sociedades de investimento internacionais fazem desta empresa a melhor parceira para identificar e promover oportunidades de crescimento que permitam transformar a Frulact num líder global”, garante o referido comunicado.

De acordo com o mesmo documento, “a Ardian confiará na atual equipa de gestão para desenvolver este projeto, liderado por Duarte Faria como CEO”, enquanto João Miranda irá exercer as funções de presidente não-executivo do grupo.

“Junto-me a todos os ‘Frulacteanos’ para dar as boas-vindas à Ardian e começar este novo capítulo da Frulact. Estamos muito satisfeitos com este acordo e parceria, uma vez que a Ardian trará recursos financeiros e estratégicos consideráveis para impulsionar a Frulact a tornar-se uma plataforma forte, que irá agregar e integrar outros negócios contíguos na indústria dos ingredientes de valor acrescentado e, consequentemente, consolidar o projeto Frulact, apoiado no nosso capital humano, permitindo
que a empresa explore uma pegada global sustentável. A Frulact continuará a operar como até agora, com esta equipa de gestão, desenvolvendo o nosso crescimento, inovação e estratégia de sustentabilidade a partir da nossa sede em Portugal, permitindo que a empresa dê o próximo passo no seu desenvolvimento e atinja as nossas ambiciosas expetativas de um futuro brilhante”, assegura João Miranda.

Por seu turno, Gonzalo Fernandez-Albiñana, líder da Ardian Buyout Espanha e conselheiro da Ardian França, declara que “a Frulact e a sua equipa de gestão têm os conhecimentos, competências e ambição para transformar a empresa num dos líderes globais de fornecimento de ingredientes alimentares naturais, expandindo as respetivas competências e alcance geográfico. A Ardian irá apoiar a equipa de gestão com a sua experiência, rede e recursos”.

Também Philippe Poletti, membro do comité executivo e líder da Ardian França, destaca que “esta transação é um exemplo perfeito da especialização da Ardian no apoio à transformação e crescimento de projetos em indústrias cujo funcionamento dominamos, ao mesmo tempo que mantemos o legado do que foi criado pela família Miranda”.

“A nossa experiência a apoiar empresas na entrada em novos territórios, combinada com o nosso conhecimento e respeito pela tradição e valores das empresas familiares tornam a Ardian num parceiro ideal para este tipo de operações”, defende aquele responsável.

A Frulact é o primeiro investimento da equipa da Ardian Buyout em 2020, uma estrutura que conta com 50 trabalhadores em sete escritórios na Europa e em Nova Iorque, para investir em empresas de valor médio e alto com elevada qualidade de forma a transformá-las em líderes globais nos respetivos nichos de mercado.

A Frulact é um grupo empresarial fundado em 1987 que se posiciona como um produtor inovador de ingredientes de valor acrescentado criados a partir de frutas e vegetais para a indústria alimentar e de bebidas, contando com um vasto portefólio de produtos baseados em preparados de fruta e vegetais para laticínios, gelados, sobremesas, bebidas, aromas alimentares e ingredientes alternativos à base de plantas.

O grupo tem presença global em três continentes, com nove unidades de produção em cinco países – Portugal, Marrocos, França, África do Sul e Canadá – sendo considerada uma das cinco maiores empresas mundiais no seu segmento de negócio.

Já a Ardian é uma sociedade independente de investimento privado responsável pela gestão e consultoria de uma carteira de ativos avaliada em cerca de 96 mil milhões de dólares na Europa, América do Norte, América do Sul e Ásia, incluindo as anteriores concessões de autoestradas Ascendi em Portugal detidas pela Mota-Engil e pelo Grupo Espírito Santo.

“A empresa é detida maioritariamente pelos trabalhadores e coloca o empreendedorismo no cerne da sua atividade, dedicando-se à obtenção de uma performance de investimento exemplar para a sua base de investidores globais. Através do seu compromisso de partilha de resultados com todos os acionistas, a atividade da Ardian alimenta o crescimento individual, empresarial e económico em todo o mundo.
Mantendo sempre em vista os seus valores de excelência, lealdade, dedicação e empreendedorismo, a Ardian opera numa verdadeira rede global com mais de 640 trabalhadores a trabalhar em 15 escritórios na Europa (Frankfurt, Jersey, Londres, Luxemburgo, Madrid, Milão, Paris e Zurique), Américas (Nova Iorque, São Francisco e Santiago) e Ásia (Pequim, Singapura, Tóquio e Seul). Gere fundos em nome de mais de mil clientes, baseada em cinco pilares de investimento especializado: fundo de fundos, fundos diretos, infraestruturas, imobiliário e dívida privada”, assinala o referido comunicado.

Ler mais
Recomendadas

CAP vai avaliar consequências das cheias no Mondego

A nova PAC -Política Agrícola Comum, o OE – Orçamento de Estado 2020, e as linhas da futura presidência portuguesa da União Europeia são outros temas em cima da mesa nos conselhos consultivos da CAP, a decorrerem várias regiões do país até ao final de fevereiro.

Vinhos certificados do Tejo cresceram 72% em 2019

No ano passado, há a destacar o incremento das exportações dos vinhos do Tejo, nomeadamente para o Brasil, seguido da Polónia, Inglaterra, Alemanha e China, assim como o progressivo interesse demonstrado por parte do consumidor nacional.

Agrocluster quer mais estratégia digital no setor

O setor agroalimentar não se detém, tradicionalmente, sobre a área digital. Mas o Agrocluster quer acabar com esta divergência e vai promover iniciativas que permitam uma aproximação entre o digital e a agricultura.
Comentários